Atividade Física e a Agregação de Fatores de Risco Metabólico em Adolescentes

Por: Michael Pereira da Silva.

69 páginas. 2013 28/03/2013

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo objetivou verificar a existência de associação significativa da atividade física (AF) com a agregação dos fatores de risco metabólicos em uma amostra de adolescentes de ambos os sexos, com idade entre 12 e 17,9 anos, da cidade de Curitiba, Paraná. O estudo de caráter transversal teve como participantes 162 adolescentes (64 meninos). A AF foi avaliada através de acelerômetros do modelo Actigraph GT1M e GT3X, a semana válida correspondeu a ao menos 4 dias válidos (≥420 minutos/dia de utilização), com ao menos 1 dia de final de semana. A unidade de medida da AF foi counts por minuto e os sujeitos também foram divididos de acordo com os tercis de AF. O risco metabólico foi avaliado através da obtenção das dosagens de Glicemia, Triglicerídeos, Colesterol Total, LDL - Colesterol, HDL - Colesterol e avaliação da Circunferência de Cintura. Escores Z foram calculados para cada fator de risco e a soma destes escores categorizou o Escore de Risco Metabólico. O teste Kruskall-Wallis foi utilizado para identificar diferenças entre os tercis de AF e a correlação de Spearman foi utilizada para identificar os valores da associação da AF com os fatores de risco metabólico e com o Escore de Risco Metabólico, adotando p<0,05 para todas as análises. Meninas pertencentes ao grupo de maior nível de AF apresentaram menores valores de Colesterol Total e do Escore de risco metabólico em relação às do grupo de baixo nível de AF (p<0,01). A AF esteve inversamente associada com os valores de Triglicerídeos (r=-0,217, p<0,05), Colesterol Total (r=-0,243, p<0,05), LDL - Colesterol (r=-0,211, p<0,05) e Escore de risco Metabólico (r=-0,269, p<0,01) nas meninas. Verificou-se que as meninas que estavam no grupo de alta AF apresentaram melhor perfil metabólico em relação as que compuseram o grupo de baixa AF, também foi verificado uma relação inversa da AF com alguns fatores de risco metabólicos, bem como a sua agregação, denotando uma participação importante da sua prática habitual na manutenção de um perfil metabólico favorável. Não foram encontradas associações significativas para os meninos. Estratégias para a manutenção de um estilo de vida ativo são necessárias para a possível prevenção de alterações metabólicas nesta faixa etária, principalmente em adolescentes do sexo feminino. 

Endereço: http://www.pgedf.ufpr.br/Dissertacoes.html

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.