Atividade Física é Essencial; Academia, Não

Por: Bruno Gualano.

Folha de São Paulo - 2021

Send to Kindle


.Resumo

A despeito das restrições de circulação, é possível manter-se ativo; exercícios ao ar livre, com distanciamento, são seguros

A recomendação para fechamento parcial ou completo de setores e serviços em meio ao descontrole de transmissão comunitária não é fruto de tara, superstição ou sadismo de cientistas. Antes, é remédio amargo, mas eficaz para conter o espalhamento da Covid. Como a abertura de tudo ao mesmo tempo resultaria em morticínio —como provam os números deste macabro experimento natural conduzido por Bolsonaro—, convém a priorização pela essencialidade.

A definição do que é essencial aceita certa flexibilidade, mas não a ponto de justificar a abertura de shopping antes de escola —medida que desvela as prioridades de uma sociedade moralmente enferma.

O contorcionismo intelectual na defesa de interesses privados em detrimento dos coletivos é uma tônica da epidemia brasileira. O discurso em prol da abertura das academias segue o mesmo roteiro, com um plus de verniz “científico”. Isso se nota, por exemplo, no raciocínio de Paloma Machado, que em sua coluna do UOL, convida o leitor a refletir sobre este oximoro: se a academia pode melhorar tanto a saúde das pessoas, por que esse setor não é essencial?

A resposta me parece simples.

Atividade física ao ar livre

Ciclista pedala na região do parque Ibirapuera, em São Paulo; segundo a Socesp, adultos devem fazer 150 minutos de atividades físicas moderadas ou 75 de exercícios mais vigorosos por semana Adriano Vizoni - 30.mar.2021/Folhapress

A penca de artigos científicos citados pela colunista revela que a atividade física é essencial à saúde, com o que estamos de pleno acordo. Continuamos na mesma página quanto à preocupação com o aumento dos níveis globais de inatividade durante a pandemia, como já discutido aqui. Contudo, daí a deduzir que a academia é essencial, somente com um imenso salto de lógica, a fazer Aristóteles se revirar no túmulo.

Como a esmagadora maioria da população brasileira sequer tem acesso à academia, não seria seu fechamento que determinaria o agravamento da inatividade. Ademais, a despeito das restrições de circulação, é plenamente possível manter-se ativo. Atividades ao ar livre, com distanciamento, são seguras. Há também o treinamento em casa, modalidade com novos adeptos durante a pandemia e que produz bons resultados. Sem mencionar as atividades chamadas não estruturadas. O deslocamento a pé ou de bicicleta e as tarefas domésticas, por exemplo, gastam energia e trazem benefícios. Como se vê, o fechamento temporário das academias não representa uma condenação ao sedentarismo... (artigo completo com links na FSP)

Endereço: https://www1.folha.uol.com.br/colunas/bruno-gualano/2021/05/atividade-fisica-e-essencial-academia-nao.shtml

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.