Atividade Física Mensurada Objetivamente e Fatores Associados à Deficiência Visual em Adultos de Pelotas-rs

Por: Rafael Barbosa Porcellis da Silva.

141 páginas. 2014 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Embora os benefícios de um estilo de vida ativo sejam notórios e amplamente divulgados, evidências na literatura têm demonstrado que pessoas com deficiência – e especialmente, deficiência visual – apresentam níveis de atividade física insuficientes aos recomendados. Pessoas com deficiência visual são uma parcela significativa da população brasileira – em torno de 2%, ou 4 milhões de pessoas – e no entanto, os estudos nacionais sobre a atividade física deste grupo são bastante reduzidos. O objetivo desta pesquisa foi determinar as associações entre aspectos relativos à deficiência visual e a prática de atividade física de adultos com esta deficiência. O presente trabalho é caracterizado como um estudo transversal realizado com uma amostra de aproximadamente 100 pessoas de adultos com deficiência visual (18-64 anos), residentes em Pelotas, RS. A amostragem foi feita por conveniência buscando todas as pessoas atendidas pela Associação Louis Braille de Pelotas que se encaixassem nos critérios pré-estabelecidos. Foram coletadas informações socioeconômicas, demográficas e relacionadas à saúde. Para a operacionalização do desfecho específico deste estudo foram utilizadas medidas por acelerometria e também a versão longa do Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ).

Endereço: http://wp.ufpel.edu.br/ppgef/arquivo-de-dissertacoes-2015/

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.