Atividade Física na Prevenção das Comorbidades Cardiovasculares em Mulheres Obesas: Quanto é Suficiente?

Por: Cristiano Penas Seara Pitanga, Ines Lessa e Maria Cecília Costa.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - v.16 - n.4 - 2011

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi analisar a intensidade e duração de atividade física suficiente para discriminar a ausência de comorbidades cardiovasculares em mulheres obesas. O desenho foi de corte transversal com amostra constituída por 387 mulheres obesas com faixa etária de 21 a 75 anos e IMC ≥ 31,2 kg/m2. Foram construídas diversas curvas Receiver Operating Characteristic (ROC) e comparadas às áreas sob as mesmas entre diferentes intensidades de atividade física (caminhada, moderada e vigorosa) e ausência das comorbidades cardiovasculares. Verificou-se também a sensibilidade e especificidade para identificar o melhor ponto de corte para a duração da atividade física mais apropriada para predizer a ausência das comorbidades cardiovasculares. Foi utilizado o intervalo de confiança a 95%. Entre as diferentes intensidades de atividade física as maiores áreas sob a curva ROC foram encontradas na caminhada: 0,68 (0,62-0,73) com ponto de corte para duração de 150 min/semana e na atividade moderada: 0,64 (0,58-0,70), com ponto de corte para duração de 150 min/semana. A prática da atividade física deve ser sugerida para mulheres obesas na intensidade e duração suficientes visando contribuir para a ausência de comorbidades cardiovasculares nesta população.

Endereço: http://www.sbafs.org.br/_artigos/481.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.