Atividade Física, Saúde e Comorbidades em Policiais Militares de Santa Catarina

Por: Cristine Matos Benedet.

2012

Send to Kindle


Resumo

Esta pesquisa investigou as relações entre inatividade física, condições de saúde e comorbidades em policiais militares em situação de atendimento ou tratamento de saúde do Estado de Santa Catarina. Quanto à metodologia, o estudo foi realizado por meio de revisão sistemática, cujo resultado foi proveniente de 24 artigos nacionais e internacionais sobre a atividade física e saúde em agentes de Segurança Pública, os quais foram publicados nos últimos cinco anos e atenderam aos critérios de inclusão e exclusão; de levantamento dos prontuários médicos referentes aos atendimentos e tratamentos de saúde em policiais militares, da reserva e da ativa, disponíveis entre os anos de 2001 e 2011, em uma amostra aleatória de 496 casos analisados por meio de cálculo de diferenças, de intervalos de confiança 95% (IC95%) e associações testadas com regressão logística bivariada com eliminação retrógrada; e ainda de aplicação de questionários em 526 sujeitos, aleatoriamente selecionados entre os policiais militares em tratamento ou em atendimento no Hospital da Polícia Militar Comandante Lara Ribas, que foram analisados por meio de regressão múltipla. Com base na revisão sistemática, pode-se concluir que os estudos nacionais tratam principalmente das questões físicas e psíquicas e os internacionais sobre os problemas decorrentes do estresse. De acordo com os casos pesquisados nos prontuários médicos, conclui-se que a maioria dos sujeitos atendidos ou tratados no Hospital da Polícia Militar Comandante Lara Ribas são praças, com média do índice de massa corporal de 26,1 kg/m², que relatam fatores benéficos e maléficos à saúde individual, predominando as patologias ocupacionais do tipo lesões, envenenamentos e outras consequências de causas externas entre os praças e os transtornos de ansiedade e do sono entre os oficiais. Com base nos dados empíricos, pode-se concluir ainda que a maioria dos policiais militares é do sexo masculino, com média de idade de 30,5 anos, trabalha 4,7 dias por semana e 697,9 minutos por dia, possui nível médio e superior, apresenta peso normal, não fuma, apresenta sinais de estresse e é ativa fisicamente. As associações apontam que os sujeitos adultos tendem a relatar menos a prática de atividade física e os com menor atividade física doméstica e menor ocorrência de depressão tendem a ter maiores valores de saúde geral, a qual predomina na maioria dos subdomínios das condições de saúde.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.