Atividades de Aventura em Escolas Públicas

Por: Giseli Cesar de Souza, Lorrayne Alves e Murilo Eduardo dos Santos Nazário.

VIII Congresso Brasileiro de Atividades de Aventura - CBAA

Send to Kindle


Resumo

A Educação Física escolar possui como conteúdos a serem ensinados os elementos da cultura corporal de movimento, ou seja, danças, lutas, ginásticas, esportes, jogos e brincadeiras, cada um com sentidos, significados e possibilidades amplas de serem exploradas no âmbito educacional. Dentre essas possibilidades que se abrem, estão aquelas relacionadas a utilização das atividades de aventura. Entretanto ainda é predominante o ensino do conteúdo esporte, mesmo assim restrito as modalidades de futsal, handebol, basquetebol e voleibol. Sendo assim, o objetivo desse estudo foi verificar, junto a professores de Educação Física escolar do município de Cariacica/ES se as atividades de aventura são conteúdos de suas aulas. Para tanto, foram entrevistados sete professores da rede pública (estadual e municipal de CariacicaES), sendo que quatro atuavam no Ensino Fundamental I (2° ao 5° ano), um no Ensino Fundamental I (1º ao 5°) e fundamental II (6° ao 9°) em escolas diferentes, e dois no Ensino Fundamental II (6° ao 9º) e Ensino Médio, ambos em escolas diferentes. Desse modo foi possível averiguar que três professores dizem trabalhar a atividade de aventura e quatro não trabalham. Aqueles que trabalham, justificam que esse conteúdo é importante para diversificar as experiências corporais dos alunos, com forte apelo para o desenvolvimento de habilidades motoras. Como atividades desenvolvidas, eles disseram ter ensinado: slackline, equilíbrio no muro baixo, circuito com bicicleta, corrida de patins de garrafa pet, mountain bike. Também proporcionaram vivências nos espaços: Morro do Moreno e Convento da Penha. Vale ainda destacar que um dos professores ensinou o conteúdo a partir de uma pesquisa realizada pelos alunos, finalizada com a vivência do mountain bike. No entanto, aqueles que não trabalhavam com essa temática, justificaram dizendo que não possuíam materiais e espaços específicos para tais práticas, outro disse que não possuía conhecimento suficiente e outra que os alunos eram novos demais para vivência desse conteúdo. Portanto é possível perceber que por um lado alguns professores consideram relevante o ensino do conteúdo: atividade de aventura. De outro se têm os professores que repetem os argumentos históricos dentro da Educação Física para justificar o não ensino de conteúdos diferentes dos esportivos (falta de materiais, de espaço, alunos muito novos, falta de conhecimento), mesmo que alguns deles considerem este conteúdo importante.

Endereço: http://cev.org.br/biblioteca/anais-do-viii-congresso-brasileiro-de-atividades-de-aventura-cbaa

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.