Atividades Físicas e Esportivas nas Associações e Clubes Japoneses no Brasil

Por: .

Atlas do Esporte no Brasil.

Send to Kindle


Resumo

O início das práticas esportivas e recreativas pela colônia japonesa no Brasil – tendo o atletismocomo base – confunde-se com a abertura da própria colonização. O marco de início da vinda de imigrantes japoneses para terras brasileiras situa-se no despertar do século XX quando 800 trabalhadores e suas famílias desembarcaram no porto de Santos, em 1908, em busca de um enriquecimento rápido para retornar ao seu país de origem. Seguiram dali para o trabalho duro nas fazendas de café do estado de São Paulo ao longo das ferrovias da Linha Mogiana, Paulista, Alta Paulista, Itauense, Sorocabana, Noroeste e Central do Brasil, onde implantaram os seus primeiros núcleos. Essas colônias passaram então a ser mantidas pelos japoneses (Isseis – japoneses de primeira geração) e seus descendentes (Nisseis – segunda geração, filho de pais japoneses nascidos fora do Japão e Sanseis – terceira geração, neto de pais japoneses nascidos fora do Japão), que fundaram os Seinen-kai: associações – culturais e/ou esportivas – de japoneses dos quais se originaram os clubes e grêmios que agrupavam os isseis e principalmente jovens nisseis em atividades organizadas, visando à união para solução de problemas comuns e a convivência. As associações se constituíam de fato e de direito no órgão administrativo do núcleo. As associações culturais e/ou esportivas, denominadas Kaikan, eram mantidas pelos japoneses e seus descendentes e comumente utilizadas para realizar reuniões sociais. As associações se reuniam nos Shinbokukai – festas de confraternização, em especial nos Tenchôssetsu, uma comemoração do aniversário do imperador japonês. Nestas festas uma atividade muito tradicional era o Undôkai, espécie de gincana associada a competições esportivas, promovida com o objetivo de confraternização. As associações também se reuniam para organizar a Competição Inter-colonial de Atletismo – CIA, realizada anualmente no mês de julho, desde 1931 até os dias atuais, em que era obedecido um regulamento aprovado em Assembléia Geral Ordinária. A competição se iniciava no sábado pela manhã e terminava no final da tarde de domingo. Seus participantes deveriam ser exclusivamente amadores e as provas eram disputadas nas seguintes categorias: adulto, juvenil (rapazes de até 18 anos completos), moças (todas as mulheres), infantil feminino (meninas de até 12 anos completos) e infantil masculino (meninos de até 14 anos completos). Havia as versões regionais, organizadas por cada setor, nos diferentes estados do Brasil que serviam de classificatória para o nacional que geralmente se realizava na cidade de São Paulo-SP. Os participantes eram provenientes das seguintes regiões: Centro- Oeste de São Paulo, Noroeste, Paulista, Sudoeste, Oeste, Norte do Paraná, Sul do Paraná e Guanabara (hoje RJ). Da capital paulista os clubes participantes eram o São Paulo “Kinko Rikujo Rem-Mei” e a Agremiação dos Nisseis de Atletismo de São Paulo - ANASP. O evento era promovido pela Associação Cultural e Esportiva Piratininga, de

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.