Atletas Juvenis e o Enfrentamento de Problemas: Um Olhar da Psicologia do Esporte

Por: A. A. Machado, A. L. Aroni, G. Bagni, K. G. Morão e R. H. Verzani.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

Durante a carreira esportiva, um atleta encontra-se diante de situações estressoras em boa parte do tempo, seja em treinamentos, jogos ou campeonatos, além de enfrentarem fatores que podem influenciar no rendimento como a pressão exercida por torcedores, fãs, familiares, patrocinadores, desentendimentos com outros companheiros de equipe, problemas no ambiente da concentração, dentre outros. Esses fatores são encontrados no esporte amador, categorias de base ou alto rendimento. Em jovens atletas, a influência dessas situações é ainda mais nítida, pois esses esportistas encontramse em formação, podendo passar por dificuldades quanto ao enfrentamento de problemas. Com isso, o objetivo deste estudo é analisar quais estratégias de enfrentamento de problemas são mais utilizadas por jovens atletas durante uma competição. A pesquisa conta com uma amostra composta por 172 atletas de futebol de campo, sendo todos do sexo masculino, que integraram o elenco de 8 equipes participantes da Copa São Paulo de Futebol Júnior no ano de 2013. Foi utilizado como instrumento o questionário "Estratégias de Modos de Enfrentamento de Problemas" (EMEP). Este questionário é composto por 45 questões fechadas e 2 abertas, sendo que as respostas são dadas por meio de uma escala do tipo Likert. Para esta pesquisa, foram consideradas somente as questões fechadas, que são subdivididas em 4 fatores: enfrentamento focalizado no problema; enfrentamento focalizado na emoção; religiosidade e pensamento fantasioso; busca de suporte social. A análise dos dados utilizou estatística descritiva, sendo realizada por meio do programa SPSS, versão 17.0. Os resultados indicaram que as estratégias focadas no problema apresentam maior média (3,88 ± 1,03), enquanto as estratégias focadas na emoção demonstram a menor média (2,66 ± 1,35). Além disso, também apresentaram médias elevadas as estratégias focadas no pensamento fantasioso e religiosidade e estratégias focadas na busca por suporte social. Sendo assim, os resultados sugerem que a maior parte dos atletas analisa o problema em questão e verifica qual é a melhor solução, sendo considerada uma das melhores maneiras para lidar com situações estressoras. Já o enfrentamento focalizado na emoção sugere que os indivíduos não precisam demasiadamente controlar suas emoções, buscando solucionar a situação estressora, pois a menor utilização dessa estratégia implica em melhor controle emocional. A busca por suporte social é um fator muito importante, pois os atletas ficam alojados durante o período do campeonato. Por fim, discutise muito sobre o pensamento fantasioso e religiosidade, destacando-se esta dimensão como não adequada para o enfrentamento de situações estressoras. Então, conclui-se que a estratégia mais utilizada pelos jovens atletas diante de situações estressoras em períodos competitivos é o enfrentamento focalizado no problema, devendo ser melhor trabalhada nos esportistas juntamente com o suporte social.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2016 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.