Aumento da Oscilação da Cabeça de Idosos: Efeito de Diferentes Tarefas Visuais e Base de Apoio

Por: F. A. Barbieri, G. C. Gotardi, J. V. A. Bonfim, M. B. Brito, P. F. Polastri e S. T. Rodrigues.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi investigar a relação entre os movimentos dos olhos e a oscilação da cabeça em diferentes condições de direção sacádica e base de apoio em adultos jovens e idosos. Dez adultos jovens (20,7 anos ± 3,4) e dez idosos (71,6 ± 3,1) permaneceram em pé sobre a plataforma de força utilizando o equipamento do movimento dos olhos (ASL). As condições experimentais foram combinações da base de apoio (bipodal - BP e semi tandem - ST) e das tarefas visuais de fixação (Fix), movimentos sacádicos horizontais (MSH) e verticais (MSV). As variáveis referentes às tarefas visuais foram: número de fixações (FixNum), duração da fixação (FixDura), variabilidade da duração das fixações (DuraSTD), latência média (LM) e a variabilidade da latência (LSTD). As variáveis referentes à posição da cabeça foram: amplitude (AM), velocidade (VL), frequência mediana (FM) e desloca-mento (DL), nos eixos ântero-posterior (AP) e médio-lateral (ML) e área (AC). Os resultados mostraram que os idosos apresentaram DL, VM (ML), AM (AP e ML) e FM (AP) maior do que adultos jovens; na base ST, DL, AC, AMO (AP e ML) e FM (AP) da cabeça foram maiores do que na base BP. A interação entre base de apoio e tarefas visuais indicou que na base BP a AC foi maior nos MSV do que nos MSH e que a AM (ML) foi maior nos MSH do que na Fix. Para base ST, a AM (ML) foi maior nos MSV e nos MSH do que na Fix, e maior nos MSH do que nos MSV. Houve, também, uma interação entre grupo, bases de apoio e tarefas visuais no DL e AC. Os idosos, na base ST, apresentaram maior DL e AC na condição de Fix e maior AC nos MSH do que os adultos jovens. Além disso, os idosos, na base ST, apresentaram maior DL e AC na FIX do que nos MSV, e maior AC nos MSH do que os MSV comparados aos adultos jovens. Na base BP, somente os idosos apresentaram maior AC nos MSV do que nos MSH. Os resultados do comportamento do olhar indicaram que os participantes apresentaram maior FixNum na base ST do que na base BP e na condição de Fix do que nos MSV e MSH. Menores FixDura e DuraSTD foram observadas na Fix do que nos MSV e MSH. Os resultados da LM indicaram que na base BP, os MSH anteciparam o estímulo, enquanto que os MSV estavam atrasados em relação ao estímulo. Na base ST, os MSH atrasaram enquanto que os MSV anteciparam ao estímulo. Para LSTD, houve interação entre grupo e tarefas visuais, indicando que a variabilidade dos MSV foi maior do que os MSH. Ainda, a LSTD foi maior para os idosos do que para os adultos jovens. Portanto, parece haver um efeito do envelhecimento nos ajustes posturais exigidos durante a manutenção da posição e orientação da cabeça, sendo estes afetados pela realização dos movimentos sacádicos e base de apoio, o que provoca uma instabilidade maior da cabeça e um comportamento variável nos movimentos dos olhos.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.