Auriculoterapia na Qualidade de Vida de Crianças com Encefalopatia Crônica Não Progressiva da Infância

Por: Daniele Parisotto Antoniassi, Luciana Maltauro e Rafael Klein dos Santos.

Revista Brasileira de Qualidade de Vida - v.10 - n.2 - 2018

Send to Kindle


Resumo

OBJETIVO: Avaliar o impacto da auriculoterapia na qualidade de vida (QV) de crianças com encefalopatia crônica não progressiva da infância (ECNPI).

MÉTODOS: O presente estudo é de caráter quantitativo. Foi realizado no Centro Educacional Municipal de Atendimento Especializado (CEMAE) na cidade de Campo Largo – PR. Participaram do estudo oito crianças com ECNPI, classificadas em todos os níveis do Gross Motor Function Classification System (GMFCS), com idade de 0 a 12 anos. Foi utilizada uma ficha de anamnese e o questionário PedsQL 3.1, específico para ECNPI. As crianças realizaram oito sessões de reabilitação funcional e, nos oito atendimentos posteriores, foi associado à auriculoterapia. Para análise estatística foi utilizado o software GraphPad Prism 5.0. Inicialmente foi aplicado o teste de Shapiro-Wilk para verificar a normalidade dos dados. Como os dados assumiram distribuição não paramétrica, foi utilizado o teste de Wilcoxon.

RESULTADOS: Os resultados foram favoráveis à técnica, proporcionando melhora nas dimensões dor e machucado, fadiga e atividades alimentares, assim como em questões específicas da desordem abordada, como constipação, sonolência e irritabilidade, evidenciando a eficiência da auriculoterapia na QV de indivíduos com ECNPI.

CONCLUSÕES: A auriculoterapia foi eficiente uma vez que apresentou impacto positivo na QV de crianças com diagnóstico de ECNPI.
 

Endereço: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbqv/article/view/7473

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.