Automobilismo

Por: Américo Teixeira, Breno Maia e Myriam Delamare.

Atlas do Esporte no Brasil.

Send to Kindle


Resumo

A paixão pela velocidade nasceu junto com o automóvel (Scali, 2001). E este se tornou um meio de competição logo após a construção dos primeiros veículos que usavam motores de explosão e derivados de petróleo como combustível. Em 1894, a revista Le Petit Journal de Paris organizou a primeira disputa entre estes novos veículos para determinar melhores performances, tal como ocorreu logo após com os primeiros aviões. No ano seguinte, houve a primeira corrida de sentido esportivo entre veículos automotores: a travessia Paris . Bordeaux. Também em 1895, aconteceu a primeira corrida automobilística nos EUA, uma competição na distância de 54,36 milhas promovida em Chicago. O vencedor, Frank Duryea, fez o tempo de 10h23m, superando três carros a petróleo e dois a eletricidade. Entretanto, a França dominou este estágio inicial das corridas de automóveis por ter uma indústria mais avançada neste setor, como também uma entidade muito atuante na promoção de eventos: o Automóvel Clube de França-ACF. O ACF dedicava-se então a organizar competições em estradas entre Paris e outras cidades da França ou da Europa. Em 1903, Marcel Renault morreu num acidente durante a travessia Paris . Madrid, o que provocou a proibição de competições automobilísticas em estradas. A partir de então, as corridas passaram a ser especializadas por classes de veículos e por locais próprios de competição, em cada classe. Em 1904, foi criada a Federation Internacionale de L.Automobile-FIA que deu início à gestão de corridas de automóveis consolidando classes e trajetos próprios em escala mundial. Este critério ainda prevalece nos dias presentes, como por exemplo no caso da Confederação Brasileira de Automobolismo-CBA (fundada em 1961), que administra as modalidades

Ver Arquivo (PDF)

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.