Autopercepção Corporal de Variáveis da Aptidão Física Relacionada à Saúde

Por: Denise Sardinha Mendes Soares Araújo.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.8 - n.2 - 2002

Send to Kindle


Resumo

FUNDAMENTAÇÃO: A aptidão física apresenta duas dimensões, uma relacionada à saúde e outra ao desempenho. Não é abido se adultos não-atletas possuem autopercepção rporal (ApC) apropriada sobre a sua aptidão física elacionada à saúde

. OBJETIVOS: a) testar a ApC de ndivíduos não-atletas em algumas variáveis orfofuncionais constituintes da aptidão física, b) erificar se a margem de acerto ou de erro nessa ApC epende dos resultados obtidos; e c) verificar se aqueles om maior ApC são mais aptos fisicamente.

MÉTODOS: Foram btidos dados em 63 adultos (51 homens), com idade entre 2 e 85 anos, tendo sido medida e testada a ApC das eguintes variáveis: VO2 máximo, flexibilidade, força de reensão manual, potência muscular máxima absoluta e elativa, localização predominante de gordura corporal e eso de referência, habilidade de sentar e levantar do olo e relação peso/altura, além da altura e do peso orporal. A influência da magnitude das variáveis sobre o escore de ApC (soma dos acertos nas 12 variáveis estadas) foi testada pela comparação entre os resultados o primeiro e do quinto quintis da distribuição e por orrelações.

RESULTADOS: Os indivíduos tendem a errar ais do que a acertar, em média, a ApC: 60 vs. 40%. A ApC é mais incorreta para a variável flexibilidade 84% de rro - e mais precisa para a habilidade de levantar do solo 66% de acerto. O escore de ApC foi maior nos divíduos mais flexíveis (p = 0,01) e nos que possuíam maior força de preensão manual (p = 0,04) e tendia a ser maior nos que alcançavam percentual mais elevado do VO2 máximo previsto (p = 0,08). O sedentarismo era quase três vezes mais prevalente nos indivíduos com pior ApC. Os 20% com maiores escores de ApC tendiam a melhores resultados as variáveis da aptidão física (p entre 0,03 e 0,11).

CONCLUSÕES: O nível global de ApC de variáveis da aptidão física é baixo, dependendo dos níveis de flexibilidade e e força de preensão manual e pelo padrão de atividade ísica regular no passado e no presente. Os que presentam melhor ApC tendem a ser mais aptos. É ossível ue o aumento do conhecimento sobre os níveis de aptidão ísica influenciem positivamente para a adoção de um stilo de vida mais ativo.

Endereço: http://www.scielo.br/pdf/rbme/v8n2/v8n2a03.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.