Avaliação Antropométrica e de Composição Corporal de Atletas Paraolímpicos Brasileiros

Por: Fernando Jose de Sa Pereira Guimaraes e Sílvio Soares de Santos.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.8 - n.3 - 2002

Send to Kindle


Resumo

Estudos de aspectos relacionados à dimensão, proporção, composição e maturação humanas evidenciaram estreitas relações entre formas e proporções com o movimento humano (Ross e Marfell-Jones apud Petroski, 1999)1. Estudos têm demonstrado haver uma relação de algumas medidas antropométricas humanas com risco de doenças metabólicas (assim como o IMC (índice de massa corporal) com o desenvolvimento do diabetes em homens e também em mulheres2-4.Não obstante à sua estreita correlação com várias patologias a avaliação antropométrica dos atletas paraolímpicos brasileiros visou identificar o perfil dos diferentes grupos de atletas, descrever suas condições sob o ponto de vista da formação corporal, visando otimizar o seu rendimento atlético durante os Jogos Paraolímpicos de Sydney. Medidas de distribuição da gordura corporal, soma das dobras cutâneas, IMC e RCQ foram alguns dos parâmetros utilizados para se prescrever dietas e treinamentos específicos. Foram detectadas várias alterações nesses itens em vários grupos de atletas. A partir dos dados coletados poder-se-á criar um banco de dados com os parâmetros antropométricos de cada grupo de atletas para futuras comparações.

Endereço: http://www.scielo.br/pdf/rbme/v8n3/v8n3a04.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.