Avaliação do Autoconceito em Cadeirantes Praticantes de Esporte Adaptado

Por: Edison Duarte, Mirella Bagdadi Sernaglia e Vanessa Helena Santana Dalla Déa.

Pensar a Prática - v.13 - n.3 - 2010

Send to Kindle


Resumo

Este estudo teve como objetivo avaliar o autoconceito, por meio de suas dimensões (somática, pessoal, social e ético-moral), de cadeirantes que praticam esporte adaptado. O instrumento utilizado foi a Escala Fatorial do Autoconceito (EFA), proposto por Tamayo (1981). Os dados foram coletados uma única vez, composto por 13 voluntários, com idade média de 28,46 anos (DP=5,93), com lesão medular de origem traumática, independente do sexo, que praticam esporte adaptado por no mínimo duas horas semanais, há pelo menos 3 meses. Os resultados mostraram que o autoconceito global da população foi negativo, com um escore de 3.99, se comparado a estudos anteriores com outras populações. Esse resultado permite concluir que os lesados medulares de origem traumática que praticam esporte adaptado estudados avaliam seu autoconceito de forma negativa.

Endereço: http://www.revistas.ufg.br/index.php/fef/article/view/10223/8397

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.