Avaliação da Capacidade Anaeróbia de Jogadores de Futebol Através de Teste Máximo de Corrida de Vai-e-vem

Por: Alexandre Gomes de Almeida, Gleber Pereira, José Mário Campeiz e Thiago Santi Maria.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.11 - n.1 - 2009

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do presente estudo foi verificar se o teste de Vai-e-Vem300m pode ser utilizado para predizer a capacidade anaeróbia, correlacionando com a potência média do teste de Wingate, em um grupo de jogadores de futebol profissional. Participaram do estudo 21 jogadores (21 ± 2 anos; 76,8 ± 7,0 kg; 179,8 ± 6,7 cm) de uma equipe da primeira divisão da Federação Paulista de Futebol. No primeiro dia, os participantes realizaram o teste de Wingate e foram determinados o pico de potência relativo, a potência média relativa e o índice de fadiga. No segundo dia, os participantes realizaram o teste de Vai-e-Vem300m, que consistia em corridas de vai-e-vem de 20m, na maior velocidade possível, até totalizar a distância de 300 m. Os parâmetros obtidos desse teste foram a duração do Vai-e-Vem300m e a velocidade média de 20 m (V20m). Antes e após a realização do Vai-e-Vem300m, foram obtidas amostras sangüíneas para determinação da concentração de lactato ([LAC]). Ao realizar a correlação de Pearson entre os parâmetros obtidos no Wingate e no Vai-e-Vem300m, apenas a potência média relativa correlacionou significativamente (p < 0,05) com a duração do Vai-e-Vem300m (r = - 0,75) e com a V20m (r = 0,72). A [LAC] aumentou significativamente quando comparados os valores antes (2,1 ± 1,0 mM) e após (14,3 ± 2,4 mM) o Vai-e-Vem300m. Portanto, os resultados do presente estudo demonstraram que o teste de Vai-e-Vem 300m pode ser utilizado para predizer a capacidade anaeróbia em jogadores de futebol profissional.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/1980-0037.2009v11n1p88

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.