Avaliação da Qualidade de Vida em Idosas Praticantes de Exercícios

Por: , Fernando de Oliveira Rosa, Fernando Rodrigues, Nágila Sperandio Carile, Paulo Costa Amaral, Rodrigo Maciel Andrade e Thayse Daniela Nascimento.

Revista Brasileira de Qualidade de Vida - v.10 - n.2 - 2018

Send to Kindle


Resumo

OBJETIVO: Avaliar a qualidade de vida (QV) em idosas praticantes de exercícios físicos matriculadas no Núcleo de Convivência do Idoso (NCI) Santa Vincenza Geroza, localizado na cidade de São Paulo/SP.

MÉTODOS: O estudo contou com uma amostra de 39 idosas, acima de 60 anos, praticantes de exercícios físicos regularmente há pelo menos seis meses, com frequência mínima de duas vezes por semana. Para avaliar a QV, foi utilizado o questionário WHOQOL abreviado (WHOQOL-bref). Ao final, os escores dos domínios do WHOQOL-bref foram comparados pelo teste ANOVA one-way utilizando software estatístico SPSS versão 22b. A significância estatística estabelecida foi de p<0,05 (5%).

RESULTADOS: Somando os escores das 24 facetas e das 2 perguntas gerais sobre QV, obteve-se um valor médio de 70,17±8,25. Na avaliação da QV o escore médio no domínio físico foi 15,63±2,52; no domínio psicológico 15,69±1,57; no domínio relações sociais a média apresentada foi 15,18±2,32 e quanto ao domínio meio ambiente, a média 14,14±1,79. Na autoavaliação da QV, verificou-se uma média geral de 15,23±1,62.

CONCLUSÕES: A prática de exercícios físicos, além de ser estratégia importante, parece estar vinculada à melhora da QV da população idosa, podendo ser associada como importante mediadora para o desempenho das atividades da vida diária, mobilidade, aceitação da aparência física, além de ser um instrumento de interação social.

Endereço: https://periodicos.utfpr.edu.br/rbqv/article/view/8049

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.