Avaliação de Atenção e Habilidades Motoras em Atletas de 10 a 17 Anos

Por: Claudia Barbosa.

160 páginas. 2008 19/11/2008

Send to Kindle


Resumo

Nas últimas décadas, têm aumentado o número de estudos buscando a relação entre prática de esporte, desenvolvimento motor, desenvolvimento cognitivo e funcionamento neurológico. Há evidências de que a prática de esporte altera tanto os aspectos motores e cognitivos, quanto o funcionamento neurológico subjacente. É necessário, assim, aprofundar as pesquisas na área, buscando compreender mais detalhadamente a relação entre prática de esportes e funcionamento neuropsicológico, bem como desenvolver e validar instrumentos de avaliação nessa área. O objetivo geral desse estudo foi verificar evidências de validade por relação com outras variáveis de instrumentos para avaliar atenção e habilidade motora, para o contexto do esporte. Foram avaliados 374 indivíduos do sexo masculino com faixa etária entre 10 a 17 anos (M 14,21±DP 2,15), sendo 70 entre 10 a 11 anos, 107 entre 12 e 13 anos, 88 entre 14 e 15 anos e 82 crianças com idade entre 16 e 17 anos, dividida em 2 grupos. O grupo 1 foi composto por 202 (58,21% da amostra) crianças que não treinam futebol, somente freqüentam as aulas de Educação Física no colégio. Tais indivíduos são alunos de escolas públicas e particulares do estado do Paraná. O grupo 2 foi composto por 145 atletas praticantes de futebol de campo em centros de formação há pelo menos 6 meses com treinos de no mínimo 3 vezes por semana. Ambos foram divididos em 4 grupos etários de 10-11, 12-13, 14-15 e 16-17 anos. A escolha dessa modalidade se deve ao fato do futebol ser um esporte que cada vez mais ganha novos adeptos e está acessível a diferentes classes sociais e faixas etárias.. Para avaliação da atenção foi utilizado o Teste de Atenção por Cancelamento (TAC). Também foram avaliadas habilidades específicas do futebol, incluindo aspectos físicos, técnicos e táticos dos atletas, por meio do Protocolo de Avaliação de Habilidades Motoras (PAHM), que consiste de dez exercícios, para mensuração dos seguintes fatores: Resistência Aeróbia, Flexibilidade, Potência dos Membros Inferiores, Velocidade de Deslocamento, Potência de Membros Superiores, Agilidade, Toques, Paredão, Precisão de passe, Precisão de chute a gol em movimento. Para verificar a relação com a idade e a prática de esporte, foram conduzidas Análises de Variância tendo como variáveis independentes à idade de acordo com os grupos definidos e a prática de esporte (praticante e não-praticante), e como variáveis dependentes os desempenhos nos instrumentos. Para verificar a relação entre os desempenhos nos instrumentos, foram conduzidas análises de correlação de Pearson. Os resultados revelaram diferenças estatisticamente significativas entre atletas e não atletas quanto ao desempenho em algumas medidas do TAC e do PAHM. Verificou-se que o desempenho no TAC teve aumento significativo com a progressão da idade, e que o grupo de atletas teve desempenho superior ao de não-atletas, o que sugere maior nível de atenção seletiva nos atletas. Houve também relação entre grupo e desempenho motor. Houve correlações significativas entre total de acertos no TAC e as variáveis motoras Toque, Agilidade e Velocidade de Deslocamento; bem como entre percentual de erros e ausências no TAC e as variáveis motoras agilidade, velocidade de deslocamento. Desta forma o estudo sugere relação entre prática de esporte, habilidade motora e atenção, corroborando dados da literatura.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.