Avaliação do Nível de Atividade Física, Aptidão Física e Capacidade Funcional de Idosas Participantes do Programa de Atividade Física Coordenado Pelo Programada de Saúde da Família do Município de São Caetano do Sul

Por: .

100 páginas. 2011 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

Introdução: A atividade física e/ou exercício físico têm sido uma forma não medicamentosa muito eficiente em retardar o surgimento, prevenir e tratar muitas doenças, principalmente em relação às doenças crônicas não transmissíveis que atingem grande parte da população idosa. Objetivo: Avaliar o nível de atividade física, aptidão física, capacidade funcional consumo de medicamentos de idosas participantes de programas de atividade física coordenado pelo Programa de Saúde da Família do município de São Caetano do Sul, São Paulo. Métodos: Foram avaliadas 271 mulheres idosas (63,4±13,2 anos), que representam 69,3% aproximadamente da população de usuárias e praticantes de atividades físicas no programa comunitário coordenado pelo Programa de Saúde da Família do município de São Caetano do Sul - Brasil. Para mensuração do nível de atividade física foi realizada de forma direta utilizando pedômetro (Digi-Walker SW200) sendo consideradas como ativas as mulheres idosas que acumularam uma média semanal entre 6.000 a 8.500 de passos/dia. As variáveis antropométricas (peso e estatura), de capacidade funcional e aptidão física (força muscular, flexibilidade e equilíbrio) foram mensuradas seguindo padronização sugerida por Matsudo S (2000). Para aferição do consumo de medicamentos, foram revisados os prontuários de cadastro do programa de saúde da família. Análise Estatística: análises de associação foram conduzidas mediante o teste de chi-quadrado. Para realizar análises ajustadas dos dados foram utilizados modelos de regressão de Poisson com intervalo de confiança de 95%. O nivel de significância adotado foi de p<0,05. Resultados: Na análise bi-variada somente a flexibilidade se mostrou associada com o nível de atividade física (p<0,05). Após ajuste para variáveis de confusão, o nível de atividade física não se mostrou associado à capacidade funcional e aptidão física em nenhuma das variáveis analisadas no estudo. Foi encontrado um menor consumo de medicamentos entre as mulheres ativas quando comparadas as sedentárias (RP 0,79 IC95% = 0,74 - 0,86). Conclusão: Maior nível de atividade física associou-se com melhores níveis de flexibilidade e a menor consumo de medicamentos em idosas participantes de programa de atividade física. 

Endereço: http://repositorio.unifesp.br/

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.