Avaliação do Risco de Ortorexia, Anorexia e Bulimia Nervosa Entre Praticantes de Exercício Físico em Academias de Limoeiro do Norte – Ce

Por: Josicléia Vieira de Abreu e Leontina Maciel da Silva.

Revista de Educação Física, Saúde e Esporte - REFISE - v.2 - n.1 - 2019

Send to Kindle


Resumo

Objetivo: Avaliar o risco de Ortorexia Nervosa entre praticantes de atividade física em academias de Limoeiro do Norte-CE. Como também, o risco de outros transtornos alimentares como Anorexia e Bulimia Nervosa. Metodologia: Estudo de tipo transversal, descritivo e analítico, realizado com praticantes de exercício físico, mediante aplicação de um formulário sócio demográfico, o questionário Orto-15 que avalia o risco de atitudes obsessivas por alimentos saudáveis e Eating Attitudes Test (EAT-26) que investiga o risco de transtornos Alimentares como Anorexia e Bulimia. Resultados: O estudo compreendeu 89 praticantes de atividade física da cidade de Limoeiro do Norte- CE, com média de idade de 27,77 ± 9,91 anos, sendo a prevalência de 75 (84%) para Ortorexia e 46 (51%) para a presença de outros transtornos alimentares. A amostra foi composta sem grandes discrepâncias entre sexos, com o risco de Ortorexia de 51% para o sexo masculino. Em contrapartida, a prevalência de risco para outros transtornos alimentares como Anorexia e Bulimia foi de 59% para o sexo feminino. Uma baixa correlação foi encontrada entre os testes Orto-15 e EAT-26 de acordo com o teste de Correlação de Pearson. Conclusão: A maioria dos praticantes de atividade física obtiveram um alto risco de Ortorexia Nervosa e a presença de transtornos alimentares.

Referências

AKSOYDAN, E.; CAMCI, N. Prevalence of orthorexia nervosa among Turkish performance artists,Eat Weight Disord. v.14, n.1, p. 33-7, 2009.

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION: Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders. DSM-V. 5th ed. Arlington, VA, USA: American Psychiatric Publishing; 2013.

BAPTISTA, A.P.; PANDINI, E.V. Distúrbios alimentares em frequentadores de academia. Revista Digital Buenos Aires. 2005; Disponível em: < http://www.efdeportes.com/ efd82/aliment.htm>. Acesso em: 5 jun. 2018.

BEHAR, R.; MOLINARI, D. Dismorfia Muscular, Imagen Corporal y Conductas Alimentarias en dos Poblaciones Masculinas. Rev Med Chile. v. 138, p.1386-1394, 2010.

BO, S. et al. University courses, eating problems and muscle dysmorphia: are there any associations?Journal Of Translational Medicine, v.12, N.1, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília, Diário Oficial da União, 12 dez. 2012.

BRATMAN S. Original essay on orthorexia. 1997. Disponível em: http://www.orthorexia.com/index.php?page=essay. Acesso em: 08 de março de 2018.

BRYTEK-MATERA, A. et al. Orthorexia nervosa and self-attitudinal aspects of body image in female and male university students. Journal of Eating Disorders, v.3, N.2, 2015.

BUNDROS, J. et al. Prevalence of orthorexia nervosa among university students based on trends in test and associates of Bratman. Apetite, v.101, p.86-94, 2016.

CHAKI, B.; PAL, S.; BANDYOPADHYAY, A. Exploring scientific legitimacy of orthorexia nervosa: a newly emerging eating disorder.Journal of Human Sport and Exercise, v. 8, n. 4, p.1045-1053, 2013.

COELHO, G. C. et al. As Consequências físicas, psíquicas e sociais em indivíduos com Ortorexia Nervosa. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo,v.10. n.57. p.160-168. Maio/Jun, 2016.

DAROS, K.; ZAGO, É. C.; CONFORTIN, F.G. Transtornos Alimentares e Imagem Corporal de mulheres praticantes de atividade física em academias do município de Chapecó-Sc. Rev. Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo, v.6, n.36, p. 495-503, 2012.

FIDAN, T.; ERTEKIN, V.; IŞIKAY, S.; KIRPINAR, I. Prevalence of orthorexia among medical students in Erzurum. Turkey. Compr Psychiatry, Turquia, v.51, n. 1, p. 49-54, jan. 2010.

FIUZA-LUCES, C.et al. Exercise is the real polypill. Physiology, vol. 28, n. 5, p.330-358, 2013.

FORTES, L. S. et al. Qualidades Psicométricas do Eating Attitudes Test (EAT-26) para adolescentes brasileiros do sexo masculino.Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 32, n.3, 2016.

GARNER D.M.; OLMESTED M.P.; BOHR Y.; GARFINKEL P.E. The Eating Attitude Test: psychometric features and clinical correlates. Psychol Medicine. v. 12, p. 871-878, 1982.Disponível em: . Acesso em: 5 jun. 2018.

HAMAN, L.; BARKER-RUCHTI, N.; PATRIKSSON, G.; LINDGREN, E.The framing of orthorexia nervosa in Swedish daily newspapersA longitudinal qualitative content analysis.Scandinavian sport studies fórum, v. 7, p. 27-46, 2016.Disponível em: . Acesso em: 5 jun. 2018.

HAMAN, L.; LINDGREN, E.; PRELL, H. “If it’s not Iron it’s Iron f*cking biggest Ironman”: personal trainers’s views on health norms, orthorexia and deviant behaviours.International Journal of Qualitative Studies on Health and Well-being, v.12, n.1, 2017.Disponível em: . Acesso em: 5 jun. 2018.

LAI, C. M. et al. The associations of sociocultural attitudes towards appearance with body dissatisfaction and eating behaviors in Hong Kong adolescentes. Eating Behaviors, v.14, n. 3, p. 320-324, 2013.

LARSEN, K. I. Similarities and differencesbetween eating disorders and orthorexia nervosa,(Dissertação de Mestrado). European Master in Health and Physical Activity. 2013.

LUNA, C. A. BELMONTE,T. S. A. Ortorexia Nervosa: Um desafio para o nutrólogo Orthorexia Nervous: a challenge for the nutrology doctor. International Journal of Nutrology, v.9. n.1, p.128-139, 2016.

MALMBORG, J.; BREMANDER, A.; OLSSON M. C.; BERGMAN, S. Health status, physical activity, and orthorexia nervosa: A comparison between exercise science students and business students. Appetite, V. 109, p.137-143, 2017.

MARTINS, M.C.; et al. Ortorexia Nervosa: reflexões sobre um novo conceito. Rev. Nutrição, Campinas. v. 24, n. 2, p. 345-357, 2011.

MISSBACH. B.; DUNN.T. M.; KONIG.J. S. We need new tools to assess Orthorexia Nervosa. A commentary on “Prevalence of Orthorexia Nervosa among College Students Based on Bratman’s Test and Associated Tendencies”.Appetite, v.108,p.521-524. 2017.

MUNSCH, S. Study protocol: psychological and physiological consequences of exposure to mass media in young women - an experimental cross-sectional and longitudinal study and the role of moderators. BMC Psychol, v. 2, n.1, 2014.

PONTES, J. B. Ortorexia em estudantes de nutrição: a hipercorreção incorporada ao habitus profissional. 2012. (Dissertação de Mestrado) Mestrado em Ciências da Saúde - Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

PONTES, J. B.; MONTAGNER, M. I.; MONTAGNER, M. Â. Ortorexia nervosa: adaptação cultural do orto-15. Demetra: Alimentação, nutrição & saúde, v. 9, n. 2, p. 533-548, 2014.

RIBAS, F. D.; SUEN, V. M. M. Avaliação do estado nutrológico infantojuvenil. Transtornos da conduta alimentar e terapia nutrológica. Tratado de Nutrologia. São Paulo: Manole, 2013.

SEGURA-GARCÍA, C. et al. Orthorexia nervosa: A frequent eating disordered behavior in athletes. Eat Weight Disord. v.17, n. 4, p. 226-33. 2012

SOUZA, Q. J. O. V. de; RODRIGUES, A. M. Comportamento de risco para ortorexia nervosa em estudantes de nutrição. J Bras Psiquiatr, v. 63, n. 3, p. 200-204, 2014

TOCCHETTO. B. Avaliação da Prevalência de Ortorexia e Vigorexia em Desportistas Recreacionais. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação). Universidade Federal do Rio Grande Do Sul. 2016.

VITAL,A.B.A.; SILVA,E.I.G.; MESSIAS,C.M.B.O.Risco para desenvolvimento de Ortorexia Nervosa e o comportamento alimentar de estudantes universitários.Saúde e Pesquisa, Maringá (PR), v. 10, n. 1, p. 83-89, jan./abr 2017.

Endereço: https://intranet.limoeiro.ifce.edu.br/revistas/refise/article/view/50

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.