Avaliação do Risco de Quedas em Pacientes Idosos Saudáveis

Por: Ana Paula Tondato Nassif da Trindade, Anderson Santos Carvalho, Bruna Soares Vilaça, Leonardo Contato Balieiro e Luiz Fernando Alves de Castro.

Arquivos de Ciências do Esporte - v.6 - n.2 - 2018

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi traçar o perfil sócio demográfico dos idosos, avaliar o equilíbrio dos idosos, quantificar o risco de quedas pelo índice de Downton e correlacionar o nível de atividades físicas com o risco de quedas. A pesquisa realizada foi do tipo descritivo, transversal, observacional e quantitativa, dentro do PSF Ana Pinto e do FAMA. Foram utilizados o questionário IPAQ e índice de Downton. O índice de Downton apresentou que uma parte da amostra pertencente ao grupo que realizavam atividades físicas obteve risco de quedas. Nota-se neste estudo que a atividade física não influenciou no risco de quedas, ao mesmo tempo nos alertou para a necessidade de continuar estudos sobre esse assunto.

Referências

Silva MC. O processo de envelhecimento no Brasil: desafios e perspectivas. Textos Envelhecimento 2005; 8(1).

Oliveira RF et.al. Efeitos do Tai Chi Chuan na aptidãofísica de mulheres adultas e sedentárias. Rev Bras Cienc Mov 2001; 9(3):15-22.

Matsudo S et al. Questionário internacional de atividade física (IPAQ): estudo de validade e reprodutibilidade no Brasil. Rev Bras Ativ Fis e Saúde 2001; 6(2):5-18.

Lima BA. Avaliação do nível de qualidade física de uma pequena população adulta do município do Rio de janeiro por meio do IPAQ (Questionário Internacional de Atividade Física) versão curta. Revista Digital, Buenos Aires 2011; 16(162).

Silva GSF. et al. Avaliação do nível de atividade física de estudantes de graduação das áreas saúde/biológica. Rev Bras Med Esporte 2007, 13(1).

Brucki SMD. et.al. Sugestões para o uso do Mini-Exame do estado mental no Brasil. Arq Neuropsiquiatr 2003; 61(3):777-781.

Biazus M, Balbinot N, Wibelinger L. Avaliação do Risco de Quedas em Idosos. RBCEH 2010; 7(1): 34-41.

Pinho TAM. et. al. Avaliação do risco de quedas em idosos atendidos em Unidade Básica de Saúde. Revista Esc. Enfermagem 2012; 46(2): 320-327.

Coutinho ES, Bloch KV, Rodrigues LC. Characteristics and circumstances of falls leading to severe fractures in elderly people in Rio de Janeiro, Brazil. Cad Saúde Pública 2009; 25(2): 455-459.

Menezes RL et.al. Estudo longitudinal dos aspectos multidimensionais da saúde de idosos institucionalizados. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol. 2011; 14(3).

Goulart LS et.al. Consume de medicamentos por idosos de uma unidade básica de saúde de Rondonópolis/MT. Estud. Interdiscipl. Envelhec. 2014; 19(1):79-94.

Silva MF. et.al. Relação entre os níveis de atividade física e qualidade de vida de idosos sedentários e fisicamente ativos. Rev. bras. geriatr. gerontol. 2012; 15(4).

Alon JR; Garcés SBB. Envelhecimento ativo: a percepção de escolares e idosos. Revista Digital 2009; 14(132).

Machado TR. et.al. Avaliação da presença de risco para queda em idosos. Rev. Eletr. Enf 2009; 11(1): 32-38.

Oliveira MR. et.al. Elderly individuals with increased risk of falls show postural balance impairment. Fisioter. Mov. 2015; 28(2).

Endereço: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/aces/article/view/3071

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.