Avaliação do Uso de Leite Desnatado Como Bebida Hidratante em Indivíduos Fisicamente Ativos Desidratados Após Exercício em Cicloergômetro e Seu Impacto no Padrão Alimentar

Por: Cássia Pegoretti.

2014 12/12/2014

Send to Kindle


Resumo

O leite desnatado (LD) apresenta potencial para hidratação no pós exercício mas seu consumo com esta finalidade pode resultar no aporte muito elevado de nutrientes e mesmo causar desconforto intestinal, devido à alta concentração de lactose. Foi realizado ensaio clínico controlado, randomizado, cross over e longitudinal com participação de 9 adultos de ambos os gêneros. Empregou-se exercício em bicicleta estacionária, com razão esforço/pausa 2:1 e variações de intensidade compreendidas entre 80 a 110% da frequência cardíaca do limiar anaeróbio, até os participantes atingirem a perda de massa corporal equivalente à 1,5% massa corporal inicial. Foi avaliado o potencial de reidratação através do consumo de diferentes doses de água mineral (AM) e LD, sendo os grupos assim constituídos: grupo água (AM-AM-AM = 5 pessoas); grupo leite (LD-LD-LD = 5 pessoas); grupo leite-leite-água (LD-LD-AM = 4 pessoas); grupo água, leite e leite (AM-LD-LD = 4 pessoas); grupo água, leite e água (AM-LD-AM = 9 pessoas) e grupo água, água e leite (AM-AM-LD= 9 pessoas). Os participantes foram instruídos a realizarem um registro alimentar de três dias para avaliação dos seus padrões alimentares e preencherem questionário subjetivo sobre a percepção em relação ao consumo de cada uma das bebidas e potenciais desconfortos. Foi analisada a ingestão de proteínas, cálcio, fósforo, vitaminas D e B2 e o valor energético total (VET) resultante do consumo de leite para hidratação. O poder hidratante das proporções ofertadas foi avaliado através de análises de urina, antes do exercício e ao final do período de recuperação; quais sejam: osmolalidade e densidade urinárias; volume total de urina produzida e retenção hídrica. Os resultados mostraram que o grupo que consumiu apenas LD produziu menor quantidade de urina durante o período de recuperação e através dos dados de osmolalidade e densidade urinários esse consumo proporcionou melhor hidratação comparado ao grupo que consumiu apenas uma dose de LD para hidratar. Porém, o consumo de duas ou três doses de LD desencadeou diarreia na maioria dos participantes. Ao diminuir o consumo de LD para apenas uma dose, os episódios de diarreia cessaram para a maioria dos participantes. Os dados de osmolalidade e densidade urinários demonstraram ainda, que uma dose de LD não representa melhor hidratação que AM somente. O aporte de cálcio, vitaminas D e B2 aumentou significativamente com o consumo de uma dose de LD bem como observou-se aumento significativo do VET. Em conjunto, nossos resultados, apontam que o consumo somente de AM pareceu ser melhor que o consumo de LD, seja ele através de três, duas ou uma dose, para repor os líquidos perdidos durante exercício em cicloergômetro. 

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000940284&opt=1

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.