Avaliação Oftalmológica em Jogadores Profissionais de Futebol no Brasil

Por: Aline Sutili Toledo, Gustavo Gonçalves Arliani, Moisés Cohen, Paulo Henrique Schmidt Lara e Rodrigo Kallas Zogaib.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.25 - n.4 - 2019

Send to Kindle


Resumo

Introdução:

O futebol é o esporte mais popular no Brasil e no mundo, mas há dados insuficientes quanto à saúde ocular dos jogadores, o que pode exercer um impacto no bem-estar e desempenho desses atletas.

Objetivo:

Realizar uma avaliação oftalmológica em uma amostra significativa de jogadores profissionais de futebol do Brasil.

Métodos:

Esse foi um estudo transversal realizado durante quatro anos consecutivos (2009-2012) em um único clube de futebol profissional no Brasil. A avaliação oftalmológica foi realizada pelo mesmo médico oftalmologista em cada amostra. Antes da avaliação oftalmológica, todos os participantes preencheram um questionário que fornecia os seguintes dados: idade, posição, uso de lentes de contato ou medicamentos oftalmológicos, sintomas, cirurgia oftalmológica prévia e data da última avaliação oftalmológica. Durante o exame oftalmológico, foram avaliados: acuidade visual, pressão intraocular (PIO) e visualização das cores, além disso, também foram realizados exames de oftalmoscopia e biomicroscopia.

Resultados:

Cento e vinte avaliações oftalmológicas bilaterais foram realizadas em 84 jogadores profissionais de futebol entre 2009 e 2012. Pinguécula e pterígio foram as condições mais comuns encontradas na biomicroscopia dos atletas, correspondendo a 63% (38/60) e 17% (10/60) das alterações, respectivamente. Na avaliação do senso cromático, apenas um atleta era daltônico. Não houve associações significativas entre a posição dos atletas e os resultados da biomicroscopia e oftalmoscopia.

Conclusão:

Apesar da alta prevalência de alterações encontradas na avaliação oftalmológica, a maioria das alterações refrativas não exigiram correção e as alterações na biomicroscopia eram na maioria das vezes benignas. Nível de evidência III; Estudo de pacientes não consecutivos.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1517-86922019000400295&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.