Avaliação Táctica no Voleibol: o Posicionamento Defensivo e Zonas Vulneráveis em Função da Zona do Ataque Adversário no 5º Jogo da Fase Final do Play-off Divisão A1

Por: Francisco Gonçalves e Paulo Mourão.

Motricidade - v.4 - n.4 - 2008

Send to Kindle


Resumo

Para atingir o objectivo do jogo de Voleibol, os jogadores devem executar acções individuais, que numa estrutura específica, formam o pensamento táctico. Assim, é importante verificar as acções de jogo, neste caso o pensamento táctico defensivo para encontrar a melhor forma para o contrariar.

O presente estudo, pretende analisar a organização táctica defensiva, assim como o local de embate da bola no solo, em função da zona de ataque, tentando encontrar um padrão de zonas vulneráveis.

Foram analisadas as acções ofensivas que originaram ponto directo, das equipas presentes no 5º jogo da final do Play-Off (Sport Lisboa e Benfica e Sporting Clube de Espinho), do campeonato de sénior masculino de Voleibol. Foi analisado o posicionamento defensivo da equipa, assim como o local de embate da bola, dividindo-se o campo em 9 zonas defensivas.

Concluiu-se que as zonas defensivas do Benfica mais vulneráveis são as áreas mais próximas da linha dos 3 metros. Por sua vez, o Espinho apresenta vulnerabilidade no centro e na esquerda, atrás da linha dos 3 metros.

A pertinência desta análise táctica quantitativa, permite determinar como deverá ser planeada a estrutura táctica ofensiva das equipas adversárias, com o intuito de procurar explorar estas zonas vulneráveis.

Endereço: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1646-107X2008000400007&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.