Baixos Níveis de Aptidão Aeróbia em Estudantes do Ensino Médio de Uma Cidade do Sul do Brasil: Associação com Fatores Sociodemográficos, Estilo de Vida e Adiposidade Corporal 

Por: Eliane Cristina de Andrade Gonçalves.

158 páginas. 2015 29/05/2015

Send to Kindle


Resumo

Níveis inadequados de aptidão aeróbia são indicadores de diversos agravos à saúde e têm sido associados como um dos fatores de risco de mortalidade prematura por todas as causas de doenças. O objetivo geral do estudo foi estimar a prevalência de baixos níveis de aptidão aeróbia e analisar a associação entre baixos níveis de aptidão aeróbia e fatores sociodemográficos, de estilo de vida e adiposidade corporal em estudantes do ensino médio de São José ? SC/Brasil. Para identificar lacunas científicas do objeto de estudo, inicialmente foi realizada revisão sistemática nas bases de dados PubMed e SciELO. O estudo analítico transversal de base escolar foi desenvolvido com 879 alunos (14 a 19 anos) de escolas públicas de São José/SC. A aptidão aeróbia foi avaliada pelo teste Canadense modificado de Aptidão Aeróbia?mCAFT. As variáveis demográficas (cor da pele, sexo, idade), socioeconômicas (turno de estudo e nível econômico), e estilo de vida (hábitos alimentares, tempo de tela, nível de atividade física, tabagismo e consumo excessivo de bebida alcoólica) foram avaliadas por questionário autoadministrado. A adiposidade corporal foi mensurada por meio das dobras cutâneas do tríceps e subescapular. A maturação sexual foi usada como variável controle nas análises estatísticas. Aplicaram-se os teste U de Mann Whitney e qui-quadrado de heterogeneidade. Foram estimadas as razões de chances (OR) e intervalos de confiança (IC95%) na regressão logística. A menor e a maior prevalência de baixos níveis de aptidão aeróbia encontradas na revisão sistemática foi de 23% e 61,7%, respectivamente. Os fatores que estiveram associados ao baixo nível de aptidão aeróbia foram: sexo feminino, nível econômico baixo, baixo nível de atividade física, consumo de bebidas adoçadas, tempo de tela excessivo e excesso de adiposidade corporal. No estudo de base escolar, a prevalência de baixo nível de aptidão aeróbia foi de 87,5% (IC95%). As meninas com tempo de tela excessivo (OR:2,25; IC95%), que consumiam leite inadequadamente (OR:2,01; IC95%), as nãofumantes (OR:0,35; IC95%) e com excesso de adiposidade corporal (OR:6,13; IC95%) e os meninos de cor de pele branca (OR:0,55; IC95%) e que eram pouco ativos (OR:1,56; IC95%) tinham mais chances de ter baixo nível de aptidão aeróbia (p<0,05). A prevalência de baixos níveis de aptidão aeróbia foi elevada, o que alerta para possíveis danos à saúde. Alguns dos fatores individuais associados ao desfecho são considerados modificáveis, o que auxilia na realização de ações para promoção e manutenção de níveis satisfatórios de aptidão aeróbia.

Endereço: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/136362

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.