Barreiras à Prática de Atividades Físicas em Adolescentes de Uma Cidade do Sul do Brasil

Por: Jaqueline Copetti, Marcelo Cozzensa da Silva e Marilda Borges Neutzling.

Revista Brasileira Atividade Física & Saúde - v.15 - n.2 - 2010

Send to Kindle


Resumo


O comportamento fisicamente ativo é influenciado por diversos fatores, sendo as barreirasconsideradas como fatores negativos. O objetivo deste estudo foi verificar a prevalência debarreiras à prática de atividades físicas no período de lazer em adolescentes residentes na áreaurbana da cidade de Pelotas/ RS, bem como sua associação com sedentarismo no lazer. Delineamentotransversal de base populacional incluindo 398 adolescentes de 10 a 19 anos foiconduzido em Pelotas, RS. Uma amostra representativa dos domicílios foi selecionada em múltiplosestágios. Adolescentes foram classifi cados como sedentários quando praticavam menosde 300 minutos de atividade física moderada a vigorosa por semana. Oito barreiras foram investigadas:falta de tempo, preguiça/cansaço, falta de companhia, falta de local adequado, faltade dinheiro, dias de chuva, presença de lesões/doenças e medo de se machucar. As barreirasmais prevalentes foram os dias de chuva (65,9%), seguida de preguiça/cansaço (37,5%) e faltade local adequado (33,8%). Todas as meninas e 57% dos meninos que relataram seis ou maisbarreiras à prática de atividades físicas eram sedentários.
 

Endereço: http://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/RBAFS/article/view/702

Ver Arquivo (PDF)

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.