Bem-Estar e Locus de Controle no Esporte

Por: Marta Maciel Levy.

Revista Brasileira de Psicologia do Esporte - v.2 - n.2 - 2008

Send to Kindle


Resumo

A pesquisa teve como proposta investigar a presença ou não de bem-estar subjetivo e qual o locus de controle apresentado pelos atletas brasileiros de judô, que foram para as Olimpíadas em Atenas. A avaliação global do bem-estar subjetivo inclui considerações sobre felicidade, emoções agradáveis, satisfação de vida, redução do estado de ânimo e emoções desagradáveis. Já o locus de controle pretende identificar a percepção das pessoas com relação ao controle dos acontecimentos em que se encontram, podendo elas perceberem os eventos de sua vida como conseqüência de suas próprias ações, o que é chamado de controle interno, ou não relacionados com suas ações, controle externo. Foi, assim, possível perceber a presença do bem-estar subjetivo e do locus de controle interno nos atletas profissionais do judô, a partir dos dados coletados com a aplicação de um questionário sobre felicidade, e dos resultados obtidos a partir das respostas, dos mesmos atletas, na Escala Multidimensional de Locus de Controle.

Endereço: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_pdf&pid=S1981-91452008000100007&lng=pt&nrm=is&tlng=pt

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.