Benefício de 12 Semanas de Treinamento Resistido Periodizado em Uma Paciente Infectada com HIV com Lipodistrofia: Um Estudo de Caso

Por: C. L. Monteiro, E. L. Mendes, F. F. Neves, H. R. Zanetti, L. G. Cruz, M. A. F. J. Leite e M. L. Silva-vergara.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

O vírus da imunodeficiência humana (HIV) é considerado uma infecção alarmante no âmbito da saúde publica mundial. Contudo a utilização da terapia antirretroviral (TARV) mostrouse eficaz no controle da infecção, por reduzir a carga viral e aumentar a contagem de células CD4+ na corrente sanguínea. Todavia, a utilização da TARV tem proporcionado alterações metabólicas como resistência insulínica e dislipidemia e funcionais como a síndrome lipodistrófica relacionada ao HIV (SLHIV). A SLHIV caracteriza-se por mudanças na redistribuição do tecido adiposo, com lipoatrofia de membros e face e lipohipertrofia na região abdominal, torácica e cervical. O exercício físico apresenta-se como intervenção alternativa nãomedicamentosa para amenizar os efeitos da TARV, principalmente relacionada a SLHIV. O objetivo do estudo foi verificar o efeito de 12 semanas de treinamento resistido periodizado (TRP) em uma paciente infectada com HIV e diagnosticada com lipodistrofia. O estudo de caso foi uma mulher de 50 anos infectada com HIV desde 1995. O esquema da TARV utilizada atualmente é composto de Lamivudina (3TC) 150mg e Ziduvodina (AZT)300 mg duas vezes ao dia e Efavirenz (EFZ) 600 mg uma vez ao dia. O treinamento foi periodizado de forma ondulatória diária, realizado três vezes por semana durante doze semanas. Foram utilizados os exercícios agachamento (AG), supino reto (SR), mesa flexora (MF), puxada frontal (PF), panturrilha sentada (PS) e desenvolvimento de ombro (DO). Foram mensurados massa corporal, dobras cutâneas, perímetros corporais, perfil bioquímico (lipídico, imunológico e glicêmico) e força muscular, nos momentos pré e pós-intervenção. Para o perfil bioquímico, após doze semanas de TRP, houve diminuição da glicose de jejum (120 mg/dL vs 93 mg/dL), colesterol total (301,5 vs 228 mg/ dL), triglicerídeos (185 vs 159 mg/dL), LDL (219,5 vs 135,6 mg/ dL), hemoglobina glicada (129 vs 101,2 mg/dL) e aumento de HDL (45 vs 58 mg/dL), leucócitos (7.440 vs 8.540 cels/mm3), neutrófilos (3.422 vs 4.612 cels/mm3) e linfócitos (3.422 vs 3.678 cels/mm3). Na composição corporal houve redução da massa corporal (44,6 vs 43,3 kg), percentual de gordura (21,7 vs 18,8%), além de redução a gordura subcutânea central (65 vs 41 mm) e total (79 vs 52 mm). Houve redução das circunferências de pescoço (21 vs 20 cm), abdômen (63,5 vs 61,5 cm), quadril (71 vs 70 cm) e aumento dos perímetros de braço direito (13 vs 14,5 cm) e esquerdo (12,5 vs 14 cm), coxa direita (36 vs 39 cm) e esquerda (35,5 vs 38,5 cm). Houve aumento de força muscular para os exercícios AG (30 vs 58 kg), SR (22 vs 46 kg), MF (24 vs 46 kg), PF (38 vs 62 kg), PS (40 vs 93 kg) e DO (18 vs 34 kg). Doze semanas de TRP foram suficientes para diminuir os efeitos adversos da utilização da TARV e melhorar o perfil antropométrico, bioquímico, imunitário e força muscular de uma paciente com lipodistrofia. 

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.