Benefícios do Exercício Físico na Doença de Parkinson

Por: Claudia Teixeira-arroyo e Jessica Delfini Balsanelli.

Educação Física Unifafibe - v.3 - n.1 - 2015

Send to Kindle


Resumo

É conhecido que os benefícios do exercício físicos são importantes para a manutenção da independência em pessoas idosas. Entretanto, na literatura nacional existem poucos estudos que verificaram os benefícios do exercício para pacientes com DP. Assim, este estudo buscou, por meio da revisão bibliográfica, verificar os benefícios de diferentes programas de exercícios físicos para pessoas com DP. Para isso, foi realizada uma busca em periódicos e livros a respeito da Doença de Parkinson e do exercício físico, no período entre 2000 a 2013. A partir dos estudos analisados, observou-se que diferentes programas de atividades físicas podem auxiliar na redução dos sintomas da doença, das dificuldades motoras e cognitivas, auxiliando no processo de independência e autonomia de indivíduos com DP. Todos os estudos encontrados apresentaram benefícios aos participantes independente do tempo de duração. A frequência semanal recomendada parece ser de 2 a 5 vezes por semana, com sessões de 45 a 60 minutos. É possível concluir com esse estudo, que tão importante quanto a medicação, a prática de exercícios físicos regulares são de suma importância para a preservação das perdas consequentes da DP, retardando o agravamento da doença e o desenvolvimento de complicações futuras. 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.