Bolsas de Ensino e Pesquisa Para a Educação Física no Brasil Concedidas Pelo Cnpq: Análise Temporal de 2005 a 2014

Por: Antônio Sobrinho, Daiana Rosa, Francisco Gomes, Leandro Corrêa, Leony Galliano, Marceli Melo, Marlos Domingues e Pedro Hallal.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - v.21 - n.1 - 2016

Send to Kindle


Resumo

Este estudo objetivou identificar as verbas por tipo e modalidade de bolsas de ensino e pesquisa concedidas pelo CNPq entre 2005 e 2014 nas grandes áreas de conhecimento, especialmente a de Ciências da Saúde com foco na subárea da Educação Física. As buscas ocorreram no mês de março de 2015 e realizadas no painel de investimentos do CNPq (http://www.cnpq.br/painel-de-investimentos) para informações sobre bolsas e no site da CAPES para identificar os cursos de pós-graduação. Foram investidos R$813.435.000,00 nas diferentes modalidades de bolsa, principalmente produtividade em pesquisa (30,0%). A área de Ciências da Saúde foi a quinta em termos de recebimento de verbas (11,0%). Entre as subáreas das Ciências da Saúde, a Medicina foi a que mais recebeu bolsas de ensino e pesquisa (38%) e a Educação Física ficou em sétimo lugar (4,0%). As subáreas que mais cresceram em investimentos no período analisado foram a Fisioterapia/Terapia Ocupacional (775%) e a Educação Física (738%), sendo esta última a sétima das subáreas em recebimento de bolsas de produtividade. Entretanto, foi a quarta em termos de crescimento de investimentos. Do total de bolsas de ensino e pesquisa, 64,3% foram destinadas a pesquisadores da região Sudeste, 15,4% na região Sul e 14,6% no Nordeste. Em contrapartida, apenas 4,1% para a região Centro-oeste e 1,6% a pesquisadores da região Norte.

Endereço: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/RBAFS/article/view/5435

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.