Brinquedoteca – Criança Brincando, Criança Feliz.

Por: Eduardo de Oliveira Gaudard.

VII EnFEFE - Encontro Fluminense de Educação Física Escolar

Send to Kindle


O movimento, a curiosidade e o lúdico são instrumentos fundamentais no desenvolvimento e integração do conhecimento com as relações estabelecidas na primeira infância, segundo o referencial Brinquedoteca nas creches: Criança brincando, criança feliz citando Carvalho, Salles e Guimarães (2002) "no brincar o sujeito se expressa plenamente, em um processo rico de sujeito-sujeito e sujeito-objeto". Nessa perspectiva, a criança se reconhece e constitue enquanto sujeito participante de um meio social e/ou ambiental.

Partindo desse princípio, o primeiro passo foi sensibilizar e envolver os professores das Creches Municipais de Belford Roxo, através de encontros para reflexão, acerca da necessidade de compreender segundo Eneida Feix, (2000: 23) que "a natureza da criança é lúdica de movimento, de curiosidade, de espontaneidade. Negar esta natureza é negar a própria criança". Reflexão esta, que redimensionou o olhar dado ao fazer pedagógico, valorizando o lúdico e criando condições para que as crianças brinquem em um ambiente de liberdade, flexibilidade tanto de espaço quanto nas estruturas de auto-realização e afirmação.

Portanto, foi sugerida a implantação do "Projeto Brinquedoteca", efetivando assim, um espaço específico para esse brincar livre, mas, orientado e organizado de forma que os objetivos da Educação Infantil como construção da identidade e desenvolvimento da autonomia, fossem alcançados.

Assim, o projeto da Brinquedoteca visa valorizar a importância do brincar e do lúdico no espaço coletivo na Educação Infantil, pois entendemos que fomentar o jogo simbólico é propiciar a busca de hipóteses acerca desse universo.

Para garantir o propósito da "Brinquedoteca, como um ambiente lúdico onde o convite à exploração, à descoberta é uma constante" (Oliveira, 2000). Elaboramos um referencial teórico que norteasse a construção, a utilização e o melhor aproveitamento desse espaço, como ponte para o planejamento do trabalho pedagógico do professor.

Neste sentido, enfatizamos nesse documento que a necessidade de descobrir, aprender coisas novas é inerente ao ser humano. O homem nasce sedento de experiências, quer conhecer, apropriar-se do conhecimento, e é essa aprendizagem ocorridas em todas as fases de sua vida que o mantém vivo, torna integrante de uma sociedade e lhe permite participar, criar e transformar sua história e a história do seu tempo.

Foram também planejadas situações didáticas com os professores, através de oficinas periódicas, proporcionando a compreensão relacionada à sua postura enquanto mediador neste processo, a vivência de brincadeiras, a construção de materiais com sucatas (brinquedos) e a organização do ambiente. Ressaltando a importância dessa relação dialética entre o adulto, a criança, o brincar e o brinquedo.

Desta forma, podemos comparar a Brinquedoteca a um ambiente instigador à pesquisa, o qual, auxiliará na avaliação e (re) organização dos momentos lúdicos, através dos interesses demonstrados pelas crianças durante a brincadeira.

Ou seja, a Brinquedoteca é o espaço para experiência, o brinquedo promove o experimento na criança pesquisadora (aprovando mesmo que indiretamente) e o professor é o mediador do processo de construção do conhecimento e pesquisador do fenômeno dialético que ocorre na brincadeira.

A introdução da Brinquedoteca na rotina das creches municipais atingiu o objetivo de (re) elaboração constante de um fazer pedagógico focado na criança, respeitando seu tempo e sua história, sendo atualmente o norteador de todas as ações que circundam o processo pedagógico na Educação Infantil de Belford Roxo.

Conclusão

Conforme relato das professoras da Creche Municipal Amor e Esperança, o fato das crianças estarem num espaço livre, onde a autonomia é privilegiada, assim como a escolha das brincadeiras de interesse, perceberam que as relações interpessoais se intensificaram, ampliando o reconhecimento e o convívio com as diferenças entre o eu e o outro, exercitando assim, a conduta ética e moral, e o equilíbrio nessas relações através da imitação das ações cotidianas tanto das vivências de seu mundo particular quanto do convívio.

Foi observado também, que as brincadeiras com roupas, acessórios e maquiagens tem sido a preferência de todas as turmas que têm feito uso dessa atividade com muita criatividade.

Da mesma forma que esta prática colaborou com o desenvolvimento do raciocínio lógico, ampliando as múltiplas linguagens e a apropriação dos conhecimentos socialmente construídos pela humanidade.

Assim, o objetivo de desmistificar a brincadeira na Educação Infantil enquanto processo pedagógico de aprendizagem significativa está sendo atingido de forma dialógica entre os profissionais envolvidos, trazendo um novo olhar para o brincar.

Notas: O projeto Brinquedoteca foi desenvolvido nas seis Creches Municipais de Belford Roxo.

Os autores, Eduardo de Oliveira Gaudard atualmente desempenha o papel de implementados na Divisão de Educação Física Escolar da Secretaria Municipal de Educação de Belford Roxo. e Simone Ferreira do Nascimento é responsável pelo Serviço de Atendimento à Educação Infantil da Secretaria Municipal de Educação de Belford Roxo, cursando atualmente a graduação de Educação Física na UNIABEU.

Referências bibliográficas:

  •  Craidy, Carmem e KAERCHER, Gládis. (Educação Infantil pra que te quero?). Porto Alegre: Artmed, 2001.
  • Teles, Maria Luiza Silveira. (Socorro! É proibido brincar!). Petrópolis: Vozes, 2000.
  • Borges, Célio José. (Educação Física para o pré-escolar). Rio de Janeiro: Sprint, 1998.
  • Santos, Santa Marli Pires. Brinquedoteca: (A criança, o adulto e o lúdico). Petrópolis: Vozes, 2000.
  • Rodrigues, Rejane Penna (organizadora). (Brincalhão: Uma Brinquedoteca Itinerante). Petrópolis: Vozes, 2000.
  • Oliveira, Ana Cristina Olmedo de. O brincar, a criança e o adulto. In: RODRIGUES, Rejane Penna (organizadora). (Brincalhão: Uma Brinquedoteca Itinerante). Petrópolis: Vozes, 2000.
  • Feix, Eneida. Reflexões sobre o lúdico. In: RODRIGUES, Rejane Penna (organizadora). (Brincalhão: Uma Brinquedoteca Itinerante). Petrópolis: Vozes, 2000.
  • Freire, João Batista. Educação de Corpo Inteiro. São Paulo. Scipione. 1994.
  • Centro  Educacional  de  Niterói. (Crescer, Série, Recreação e Educação Física: o movimento em movimento).Rio de Janeiro. CENTRO Educacional de  Niterói e Fundação Brasileira de Educação, 1995.
  • Secretaria Municipal de Educação. Divisão de Educação Física Escolar. Serviço de Atendimento à Educação Infantil. (Brinquedoteca nas creches: Criança Brincando, Criança Feliz). Belford Roxo, Rio de Janeiro: SEMED, 2002.

Tags: ,

O que são tags? Tags são palavras-chave (relevantes) usadas, no CEV, para classificar um determinado conteúdo.
Que tal sugerir uma?

Comentários


:-)





© 1996-2014 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.