Capoterapia: a Percepção dos Idosos com Relação à Prática da Capoterapia e Seus Benefícios Biopsicossociais

Por: Maria Márcia Viana Prazeres.

2017 20/02/2017

Send to Kindle


Resumo

O envelhecimento da população mundial motivado pelo aumento da expectativa de vida revela, por um lado, uma grande conquista da humanidade em toda a sua história e, por outro, representa um de seus grandes desafios. Há necessidade de se envidarem esforços sociais e econômicos no sentido de possibilitar a essa população um envelhecimento saudável, do ponto de vista fisiológico, psicológico e social. Por isso, se torna relevante estudar as práticas que são mais adequadas aos idosos e, o estudo sobre o lúdico e as suas vivências traz uma importante contribuição pois, valoriza atividades que são prazerosas e significativas a essa população. A Capoterapia é considerada uma prática lúdica, mas ainda é uma atividade pouco conhecida. Assim, o objetivo dessa pesquisa foi investigar a percepção sobre os elementos que compõem a prática da Capoterapia e os efeitos nas dimensões biopsicossociais na vida de praticantes inscritos em uma associação de idosos. A pesquisa foi de caráter exploratório e descritivo, de abordagem qualitativa e quantitativa, com a participação de 34 indivíduos, sendo 28 mulheres e 06 homens, com a média de idade 71 (± 8 anos). A coleta dos dados ocorreu a partir de um questionário aplicado individualmente com informações socioeconômicas e um roteiro semiestruturado com duas perguntas geradoras: “O que é a Capoterapia para você?” e “Como você se vê antes e depois da prática da Capoterapia?”. Para as análises dos dados utilizou-se do software IRAMUTEQ - Interface de R pour analyses Multidimensionnelles des Textes et de Questionaires, do software Excel 2010 e das entrevistas semiestruturadas. Os resultados, a partir dos relatos dos idosos, indicaram que a Capoterapia pode ser considerada uma prática lúdica, conforme os elementos que a compõe, que está associada às práticas corporais, capoeira e dança, e que propicia efeitos positivos na autoestima, no estado de ânimo, na capacidade funcional, na sensação das dores físicas e psicológicas, na memória, no resgate das reminiscências, no sentimento de pertencimento e no convívio social. Conclui-se que a Capoterapia é uma prática corporal com aspectos lúdicos, que proporciona diversos benefícios biopsicossociais à população idosa.

Endereço: https://bdtd.ucb.br:8443/jspui/handle/tede/2016

Comentários


:-)





© 1996-2017 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.