Características Antropométricas e Desempenho de Crianças com Habilidade Para Nadar o Crawl

Por: Andrea Michele Freudenheim, Fabrício Madureira, Marcel Rocha e Marcos Roberto Apolinario.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

O deslocamento em meio aquático demanda habilidade para amenizar a ação das
forças de arrasto passivo (resistência ao deslocamento) e maximizar o arrasto ativo
(propulsão). Nesse sentido, características antropométricas são indicativos do
desempenho de nadadores adultos (PLATONOV & FESSENKO, 2004). Porém, em relação
a crianças nadadoras, poucas informações estão disponíveis na literatura. Assim, o
objetivo do estudo foi investigar a relação entre as características antropométricas e
o desempenho de crianças com habilidade para nadar crawl. Trinta crianças entre 7
e 10 anos de idade (x=8,9; DP=1,3), 11 do sexo masculino e 19 do sexo feminino,
participaram voluntariamente do experimento. Na época da coleta, todos os
voluntários freqüentavam programas formais de ensino do nadar há, no mínimo, 50
aulas. Para a caracterização antropométrica foram considerados: a) Massa corporal:
balança mecânica da Filizola, com resolução de 100g; b) Altura: estadiômetro standard
da American Medical do Brasil (AMB); c) Soma de dobras cutâneas (tricipital e
subscapular): adipômetro científico Sanny da AMB, precisão de décimos de milímetro;
d) Envergadura: trena antropométrica da AMB, com campo de uso de 2 m e resolução
em milímetros; e) Composição corporal: considerando percentual de gordura, peso
de massa magra e peso de gordura, sendo usado para os cálculos SLAUGHTER et al.
(1988) e Índice de massa corpórea. A tarefa proposta para analisar o desempenho
foi deslocar-se em velocidade máxima por 30 m, divididos em 2 piscinas de 15 m,
onde a execução da virada olímpica era tarefa obrigatória ao final dos primeiros 15
m. Uma filmadora Sony Digital Handy Câmera Recorder, modelo TRV 340
posicionada a 6 m de altura na cabeceira da piscina foi utilizada para gravar o
desempenho. O registro do tempo foi feito manualmente e utilizou-se cronômetros
digitais da marca Oregom modelo Slim SL 928M, com medidas em centésimos de
segundo. Para correlacionar as variáveis antropométricas e o desempenho das crianças,
utilizou-se a correlação produto-momento de Pearson. Não foi encontrada diferença
estatisticamente significante para nenhuma das variáveis analisadas. Em função dos
resultados podemos inferir que, ao contrário do que ocorre com adultos, a
antropometria tem pouca influência sobre o desempenho de crianças. Dessa forma,
quando o objetivo for desempenho na faixa etária estudada, as variáveis relacionadas
ao controle motor devem merecer maior atenção.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/66_Anais_p303.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.