Características da Curva de Força Propulsiva Durante Palmateio em Nada Amarrado com Tubo Elástico e com Cabo de Aço

Por: Catiane Souza, Jefferson Fagundes Loss e Lara Elena Gomes.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.26 - n.4 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Em esportes aquáticos, pode-se avaliar a força propulsiva gerada para deslocar-se por meio do nado estacionário (sem deslocamento) ou por meio do nado semiestacionário (com deslocamento). A maioria dos estudos realizados utiliza cabo de aço para prender o sujeito. Encontram-se também alguns estudos utilizando tubo elástico, contudo é citada a possibilidade do tubo dissipar força. Assim, o objetivo deste trabalho foi comparar as características da curva de força gerada pelo palmateio propulsivo na posição de frente direção cabeça, estando o indivíduo preso a diferentes materiais: tubo elástico e cabo de aço. A amostra foi composta por 10 voluntários, com minimamente um ano de experiência no gesto (idade 21,3 ± 5,98 anos, tempo de treinamento 10,10 ± 6,19 anos). Cada indivíduo executou o palmateio em força máxima por 30 s, amarrado ao material, ligando-o a uma célula de carga fixada na borda da piscina. As forças máxima, máxima relativa, inicial e o índice de fadiga foram maiores no nado estacionário; a força média final, impulso e tempo para força máxima foram maiores no nado semiestacionário. Apenas a força média não apresentou diferença significativa, indicando que a curva de força durante o palmateio tende a ser diferente dependendo do material utilizado.

Endereço: https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/7119

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.