Características Dinâmicas de Movimentos Seleccionados do Basquetebol

Por: , Fernanda M. Acquesta, Germano M. Peneireiro, e Roberto Bianco.

Revista Portuguesa de Ciências do Desporto - v.7 - n.2 - 2007

Send to Kindle


Resumo

O objectivo do estudo se pautou em determinar as características de parâmetros das forças de reacção do solo (FRS) em movimentos típicos do basquetebol executados por jogadores profissionais. Também se objectivou determinar correlações entre o desempenho nos saltos e sua carga mecânica durante as aterrissagens. Oito atletas realizaram cinco tentativas em seis movimentos: arremesso em suspensão (jump), salto com contramovimento (jump & reach), bandeja, rebote e corrida com bola rápida (v=6m/s) e lenta (v=4m/s). Os parâmetros dinâmicos da FRS foram colectados através de uma plataforma de força (KISTLER AG 9287). Os resultados do primeiro pico da força vertical na aterrissagem, do tempo para o para o pico e do impulso foram: no jump 4,54 ± 1,10 PC, 0,08 ± 0,01s, 0,13 ± 0,04 PC.s; no rebote 5,39 ± 1,26 PC, 0,07 ± 0,01s, 0,18 ± 0,04 PC.s; e na bandeja 7,27 ± 2,71 PC, 0,08 ± 0,13 s, 0,24 ± 0,04 PC.s. Os resultados evidenciam que o aparelho locomotor é submetido a uma carga mecânica relativamente alta durante os movimentos. As baixas correlações entre o desempenho do salto e o primeiro pico da força vertical na aterrissagem (0,44 no jump; 0.22 no rebote; e 0.34 na bandeja) sugerem que o desempenho do salto não tem influência determinante na carga gerada.

Endereço: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-05232007000200005&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.