Características Estruturais e Funcionais das Redes de Apoio Social de Idosos Participantes e Não Participantes de Um Programa de Atividade Física

Por: Adilson Santana Cardoso.

2009

Send to Kindle


Resumo

Este estudo descritivo-transversal teve como objetivo analisar e comparar as características da rede de apoio social, o nível de estresse, as características socioeconômicas e as condições de saúde de idosos participantes e não participantes de programas de exercícios físicos. A amostra foi composta por 81 idosos cadastrados em três Centros de Saúde do município de Florianópolis, SC, que participam do programa Floripa Ativa – Fase B (GP), e que não participam deste programa e nem de outras atividades formais em grupo (GNP), selecionados de forma não-probabilística. O GP foi composto por 55 idosos com média de idade de 69,6 anos (DP= 7,3), e o GNP por 26 idosos com idade média de 70,6 anos (DP= 5,7). Os instrumentos utilizados na coleta de dados e aplicados em forma de entrevista individual foram: 1) Ficha de identificação com dados socioeconômicos e condições de saúde dos idosos; 2) Escala de Apoio Social, utilizada no Medical Outcomes Study, que avalia a percepção de apoio social disponível (total e dimensões: material, afetivo, emocional, interação social positiva e informativo); 3) Mapa Mínimo das Relações, para avaliar as características estruturais das redes de apoio social; 4) APGAR Familiar com vias à avaliação da funcionalidade familiar; 5) Escala de Estresse Percebido, a qual verifica o estresse geral percebido pelo idoso. Os dados foram tratados por meio de estatística descritiva e inferencial, observando-se os preceitos de normalidade da distribuição. Em todas as análises inferenciais foi adotado um nível de significância de 5%. Os idosos de ambos os grupos não apresentaram diferenças estatisticamente significativas em suas características socioeconômicas, condições de saúde e nível de estresse. Foram observadas diferenças significativas no número de contatos disponíveis para auxílios específicos, na percepção de apoio social disponível e na funcionalidade familiar entre os grupos. Em geral, os idosos do GP apresentam mais contatos disponíveis para auxílio financeiro (p=0,009) e nas tarefas diárias (p=0,001). Estes idosos também percebem uma maior disponibilidade de apoio social total (p=0,009) e na maioria das dimensões: afetivo (p=0,016), emocional (p= 0,039), de interação social positiva (p=0,026) e informativo (p=0,041). Os idosos do GP, também, apresentaram um ambiente familiar mais equilibrado, com uma melhor funcionalidade familiar (p=0,047), além de estarem mais satisfeitos com a adaptação (p=0,049) e com o desenvolvimento familiar (p=0,004). Acredita-se, que a participação social dos idosos no programa de atividades físicas possa contribuir para restauração de papéis e funções sociais. Isto, por sua vez, contribuiria para diminuir a sobrecarga nas relações significativas, e seria responsável por uma melhor funcionalidade familiar, a qual, por sua vez, contribuiria para a maior percepção de apoio social disponível relatada pelos idosos do GP. Destaca-se, assim, a importância do idoso manter-se participativo socialmente, sendo que o fato de pertencer a um grupo traz inúmeros benefícios psicossociais que podem contribuir tanto para o indivíduo quanto para uma melhor assistência do mesmo.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.