Características da Força de Preensão Manual em Judocas : Efeitos da Postura e da Dominância, Implicações Sobre o Equilíbrio e Simulação da Técnica Morote-seio-nage

Por: Jonathan Ache Dias.

2009

Send to Kindle


Resumo

Objetivo deste estudo foi analisar as características da força de preensão manual isométrica de judocas, os efeitos da postura corporal e da dominância, as suas implicações sobre o equilíbrio e a contribuição desta para execução da técnica de arremesso morote-seio-nage. Participaram do estudo oito judocas integrantes do programa Campeões nas Quadras e na Vida da FUCAS. Para tanto, foram utilizados um dinamômetro de preensão manual, uma plataforma estabilométrica, uma célula de carga, duas plataformas de força AMTI e equipamentos antropométricos. No primeiro momento foi avaliada a força de preensão manual isométrica máxima (FPIM) na mão dominante (D) e não-dominante (ND) durante 30 segundos na posição sentada, adaptada da Sociedade Americana de Terapeutas da Mão (ASHT). Na segunda etapa foi avaliada novamente a força de preensão, na posição de pé, baseada na posição defensiva Jigo-Hon-Tai (JH), concomitantemente com o equilíbrio. Os sujeitos posicionaram-se sobre a plataforma estabilométrica onde, após 30 segundos apenas com a mão encostada no dinamômetro, que estava suspenso por um pedestal, realizaram a FPIM durante 30 segundos. As seguintes características da curva de preensão manual foram analisadas: força máxima (FMAX), percentual de queda, taxa de desenvolvimento da força e o Impulso (IMP). As características estabilométricas do centro de pressão (CP) analisadas foram: deslocamento da oscilação total, amplitude, desvio quadrático médio e velocidade média para as direções ântero-posterior (AP) e médio-lateral (ML), velocidade total e área que engloba 95% dos valores. Na última etapa do trabalho foram analisadas as características da força de preensão manual, da puxada e as reações do solo durante a simulação da técnica morote-seio-nage. Foram empregadas as estatísticas descritiva e inferencial composta por dois delineamentos Anova fatorial 2x2 com duas variáveis dentre participantes, testes t, wilcoxon e de correlação cruzada, com nível de significância de 5% utilizando o software SPSS v.14.0. Os sinais gerados pelo dinamômetro de pressão manual e pela plataforma estabilométrica foram analisados por rotinas implementadas no software livre Scilab v.4. 1 .2. Os resultados demonstram que a variável IMP do teste de FPIM foi a que sofreu efeito genuíno da dominância e da postura corporal. A mão D apresentou melhor desempenho que a mão ND nas variáveis FMAX (ASHT) e IMP (JH). A posição ASHT apresentou melhor desempenho, pelo menos para a variável IMP da mão ND em comparação com a posição de pé (JH). A realização da FPIM durante a posição JH provocou perturbações significativas em todas as características do CP principalmente na direção AP. Entretanto, os testes de correlação cruzada indicam que a atividade de preensão e do equilíbrio estão relacionados. Também foram indicadas evidências da contribuição da força de preensão durante a simulação da técnica morote-seio-nage. Finalmente destacou-se a importância da força de preensão para o judoca e se propôs a inclusão mais detalhada desta capacidade em futuras pesquisas.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.