Características de Impacto do Corpo do Judoca em Diferentes Tatames

Por: Tatames Saray Giovana dos Santos.

57ª Reunião Anual da SBPC

Send to Kindle


INTRODUÇÃO:

Toda e qualquer projeção efetuada na modalidade Judô resulta em um ukemi, caracterizado como um impacto do corpo do judoca contra o tatame, e as características mecânicas dos materiais com os quais estes são construídos, exercem um papel importante no desenvolvimento da técnica e na resultante destas forças na interação do corpo do judoca com a superfície da queda, pois são os impactos não só no Judô como em outros esportes, as maiores causas de lesões, tanto a curto, como a médio e ou em longo prazo.

Assim sendo, este estudo teve como objetivo avaliar características de impactos do corpo do judoca em diferentes tipos de tatames.

Mais especificamente objetivou-se identificar e comparar os valores e os tempos dos impactos dos diferentes segmentos corporais (punho, quadril e tornozelo) nos diferentes tipos de tatames.

METODOLOGIA:

Investigou-se neste estudo de característica exploratória, sete diferentes tipos de tatames (A, B, C, D, E, F e G), sendo seis sintéticos e um de palha, escolhidos intencionalmente. Os testes realizados em laboratório, por dois judocas selecionados de forma casual sistemática, dentre judocas, que se prontificaram a participar do estudo, sendo um deles com ótima execução da técnica Ippon-Seoi-Nague e o outro caindo, também com ótima execução do Zempo-Kaiten-Ukemi. Para medir os impactos resultantes das colisões de segmentos corporais do atleta (punho, quadril e tornozelo) contra sete diferentes tipos de tatames, utilizou-se um acelerômetro triaxial do Tipo 4321, da Brüel & Kjaer, fixados nos referidos segmentos. Quando da colisão de cada segmento corporal, a carga elétrica gerada pelo acelerômetro passava por intermédios de cabos, um para cada sentido da força, (x, y e z), para pré-amplificadores respectivos, os quais estavam acoplados a um sistema de terminais onde os sinais eram processados pelo programa gráfico SAD 32. Os sinais apresentavam-se em mV/s, eram corrigidos por fatores de correção, distintos para os diferentes segmentos corporais e diferentes tipos de tatames e transformados em unidades de aceleração da gravidade - g. Os dados foram trabalhados utilizando estatística descritiva em termos média, desvio padrão e coeficiente de variação, assim como a análise de variância com probabilidade de 0,05.

RESULTADOS:

No punho, os maiores valores de impactos ocorreram nos tatames E (301,11g) e C (300,94g), ambos no eixo z, e os menores nos tatames F (39,99g) e D (39,52g) ambos no eixo y. Quanto ao tempo de impacto do punho, os menores valores médios foram obtidos no tatame E, nos três (x, y e z), sendo: 0,0049s, 0,0043s e 0,0055s, respectivamente; as maiores no tatame A, também nos três eixos, sendo: em x 0,0087s, em y 0,0095 e em z 0,0117s. Quanto ao quadril, os valores mais altos foram obtidos nos tatames G (18,79g) e F (18,30g), eixo x. Os menores tempos de impacto no quadril, nos três eixos, foram nos tatames E (0,0074s; 0,0095s; 0,0064s) e, os maiores no tatame A (0,0254s) eixo x; tatame F (0,0286s) eixo y e, o tatame A (0,0235s) no eixo z. O tatame E foi aquele que apresentou menor tempo de impacto e o tatame A o maior. Quanto ao tornozelo, os maiores valores foram obtidos no eixo z, nos tatames A (371,37g) e C (349,94g). Enquanto que menores impactos foram registrados no eixo y, tatames F (42,14g) e D (48,3 g). Quanto ao tempo de impacto, as menores médias foram de: 0,0046 s nos tatames "C" (eixo x); 0,0056 s no tatame E (eixo y) e 0,0060s no tatame C e 0,0061s no tatame E (eixo z). Já os maiores tempos foram no tatame F, sendo: 0,0195s no eixo x; 0,0228s no eixo y e 0,0224s no eixo z.

CONCLUSÕES:

Com base nos resultados obtidos, no referencial teórico e respeitando as limitações do estudo, conclui-se que: a) os valores de impacto, nos diferentes segmentos corporais do corpo do judoca, registrados por acelerômetro, foram altos, principalmente nos segmentos corporais tornozelo e punho na direção vertical. Por outro lado, o segmento quadril foi o que apresentou as menores magnitudes de impacto; b) tanto os maiores valores de impacto nos segmentos como a direção destes, serviram para ratificar a importância do ukemi na amenização dos efeitos dos impactos, haja vista que a área de maior massa e conseqüentemente com maior número de órgãos internos, apresentou menores magnitudes de impacto; c) quando maior o tempo de contato do segmento corporal com o material, menor foi a magnitude do impacto, sendo os tatames A e B os que mais apresentaram tais características. Face aos altos valores de impactos obtidos, vale ressaltar da necessidade de tatames com propriedades visco-elásticas apropriadas para as características dessa modalidade, visando à integridade física do judoca, a curto, a médio e em longo prazo.

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.