Caracterização das Manifestações da Força Muscular em Atletas de Jiu-jitsu

Por: Bruno Victor Correa da Silva.

69 páginas. 2012 12/12/2012

Send to Kindle


Resumo

Os objetivos deste estudo foram: (a) investigar a reprodutibilidade de dois testes de resistência de força (RF) na barra com quimono em atletas de Brazilian Jiu-Jitsu (BJJ); (b) verificar se os testes na barra com quimono, os testes de pico de potência (PP) e o de uma repetição máxima voluntária dinâmica (1RM), são capazes de discriminar atletas de BJJ com diferentes níveis competitivos; (c) investigar a influência do incremento da intensidade sobre o PP; (d) identificar em qual intensidade (% de 1RM) os atletas atingem o PP no supino reto balístico (SRB). O estudo foi divido em dois experimentos: no primeiro investigamos a reprodutibilidade de dois testes na barra com quimono e verificamos se ambos os testes eram capazes de discriminar atletas com diferentes níveis de graduação. Para tanto, trinta atletas de Jiu-Jitsu participaram em duas fases: "A" (a) para testar a confiabilidade e "B" (b) para comparar os atletas elite vs não-elite. Na fase A, 20 participantes realizaram o teste de tempo máximo de sustentação estática (TMS) e, 15 minutos depois, o número máximo de repetições dinâmicas (NMR), em duas ocasiões, com 24 h de intervalo. Na fase B, 10 praticantes de BJJ (não-elite) e 10 atletas (elite) realizaram os mesmos testes. No segundo experimento investigamos os valores de PP, de 1RM no supino reto (SR) em atletas de BJJ e a influência do aumento da intensidade no PP. Vinte e oito atletas de BJJ (com títulos estaduais e internacionais), com mais de três anos de experiência, graduação da faixa azul até a preta e participantes frequentes de competições, foram convidados a participar voluntariamente. Os testes de 1RM e os de PP foram realizados com os indivíduos em estado recuperado e já familiarizados aos procedimentos. Após pelo menos 24 h da realização do teste de 1RM, os voluntários empreenderam os testes de PP que consistiu em encontrar a maior produção de potência nas seguintes intensidades de 1RM: 30, 40, 50, 60% com três tentativas para cada intensidade, com pausa de 5 min entre as mesmas; de forma aleatória e randomizada através de um acelerômetro marca Myotest®. Os testes na barra com quimono e o teste de 1RM demonstraram ser confiáveis e parecem diferenciar atletas de BJJ com diferentes níveis. A intensidade relativa (% 1RM) teve um significante efeito no PP para valores absolutos (parcial ƞ2 = 0,212; F = 7,245; p ˂ 0,001) e relativos (parcial ƞ2 = 0,208; F = 7,107; p ˂ 0,001). Post-hoc identificou que estas diferenças se concentraram entre as seguintes intensidades 40% x 60% (p=0,005) 50% x 60% (p=0,008) de 1RM para
valores absolutos e relativos 40% x 60% (p=0,005) 50% x 60% (p=0,010). Parece haver uma tendência dos atletas mais graduados (G) atingirem o PP em intensidade superiores (50%1RM) comparados com os NG (40%1RM) no SRB.

Endereço: http://www.uftm.edu.br/paginas/curso/cod/1428/area/PROGRAMA+DE+POS-GRADUACAO+EM+EDUCACAO+FISICA/t/DISSERTACOES+DEFENDIDAS

Ver Arquivo (PDF)

Tags: ,

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.