Caracterização da Organização do Processo Ofensivo em Pólo Aquático Feminino de Elite

Por: F. Argudo, J. Garganta, M. Lloret, R. Fernandes e S. Canossa.

Motricidade - v.5 - n.2 - 2009

Send to Kindle


Resumo

No presente estudo procedeu-se à caracterização da organização do processo ofensivo em Pólo Aquático feminino de elite a partir da observação de 442 sequências ofensivas de 8 jogos realizadas pelas principais equipas participantes num Campeonato Europeu. Para o feito, foram apuradas 17 variáveis tácticotécnicas inerentes à gestão do espaço de jogo, à posição e à participação dos jogadores, à organização táctica e aos métodos de jogo utilizados, bem como à eficácia das acções empreendidas. Os resultados obtidos permitem concluir que: (i) o ataque posicional é o método de jogo predominante no processo ofensivo, tendo por oposição a defesa mista com flutuação; (ii) o contra-ataque constitui-se como o método de jogo mais eficaz; (iii) o processo ofensivo inicia-se através da recuperação da posse da bola por antecipação e defesa da guarda-redes, predominando a utilização de um primeiro passe de alcance longo efectuado para o corredor direito; (iv) as formas preferenciais de finalização são o remate directo da primeira linha ofensiva, as desmarcações assistidas e as situações de superioridade numérica temporal; (v) no conjunto das sequências ofensivas predominam as que não chegam a esgotar os 35s regulamentares; (vi) a eficácia das equipas correlaciona-se com os meios tácticos adoptados, destacando-se o remate directo com origem na primeira linha ofensiva, a desmarcação assistida e as situações de superioridade numérica temporal.

Endereço: http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1646-107X2009000200002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.