Caracterização do Perfil Lesional em Ginástica Artística Feminina: Um Estudo Prospectivo das Ginastas Portuguesas de Competição Ao Longo de Uma época Desportiva

Por: José Ferrerinha, Luísa Amaral e Paulo Santos.

Revista Portuguesa de Ciências do Desporto - v.9 - n.1 - 2009

Send to Kindle


Resumo

O objectivo geral deste estudo foi analisar e caracterizar as lesões ocorridas ao longo da época desportiva 2006/2007 na totalidade das ginastas portuguesas de competição. Foram observadas 79 atletas de Ginástica Artística Feminina, com idades entre os 6 e 18 anos, treinando em média 14,15h/semana. As lesões foram categorizadas em função da etiologia, tipo, distribuição anatómica, severidade e aparelho de ocorrência. Como principais resultados salienta-se: (i) 43% das atletas lesionaram-se, com uma taxa de 2,47 lesões em treino e 1,95 em competição; (ii) a maioria das lesões foi traumática (58,3%); (iii) a lesão mais frequente foi a entorse (21,3%); (iv) os membros inferiores foram a região mais atingida (53,5%); (v) a trave olímpica foi o aparelho com maior incidência lesiva (19,7%). Como principais conclusões, observou-se uma tendência notória na natureza das lesões tanto em função da sua etiologia, como da localização anatómica, tendência também evidente em relação à influência de algumas características de cargabilidade ( h/semanais treino) no aparecimento de lesões.

Endereço: http://www.scielo.oces.mctes.pt/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1645-05232009000100005&lng=pt&nrm=iso&tl

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.