Carga Física da Dança Esportiva em Cadeira de Rodas

Por: Carolina Lessa Cataldi, , e Otávio Rodrigues de Paula.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.19 - n.1 - 2011

Send to Kindle


Resumo

A Dança Esportiva em Cadeira de Rodas (DECR) é uma modalidade esportiva adaptada da dança de salão praticada no Brasil desde 2001, porém, não há estudos que abordem as respostas fisiológicas ao esforço que os atletas/dançarinos se submetem numa competição de DECR. Objetivos: verificar o comportamento da freqüência cardíaca (FC) de dançarinos cadeirantes durante uma competição de DECR, comparar a carga física entre as rodadas e a resposta cardíaca específica entre as danças Samba, Rumba e Jive, além de comparar a freqüência cardíaca máxima de pico (FCMpico) obtida pelos atletas durante toda competição, frente a freqüência cardíaca máxima calculada (FCMcal=200-idade) prevista pela idade. Métodos: foi analisada a FC de nove atletas cadeirantes (5 mulheres e 4 homens; 34,6 ± 10,5 anos) que competiram durante o VII Campeonato Brasileiro de DECR, utilizando um conjunto de cardiofreqüencímetros. Resultados: a representação gráfica da curva da FC demonstrou-se compatível com atividade física intermitente, a média da carga física das rodadas foi de 89,9%FC pico não havendo diferença significativa entre as mesmas. Em relação aos estilos de dança, houve diferença significativa de intensidade, sendo o Jive mais intenso (p≥0,05) do que o Samba e a Rumba não havendo diferença entre essas duas. A média da FCM pico (189 bpm) foi maior (p≤0,05) do que a média da FCM cal (165,3 bpm).
 

Endereço: http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/1903/1846

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.