Carta Internacional de Educação Para o Lazer

Por: Wlra - World Leisure And Recreation Association.
Send to Kindle


I - Preâmbulo

1. Finalidade

A finalidade desta Carta é informar aos governos, às organizações não-governamentais e às instituições de ensino a respeito do significado e dos benefícios do lazer e da educação para e pelo lazer. É também orientar os agentes de educação, incluindo as escolas, a comunidade e as instituições envolvidas na capacitação de recursos humanos sobre os princípios nos quais poderão se desenvolver políticas e estratégias de educação para o lazer.

2. Lazer

Considerando que:

2.1 Lazer se refere a uma área específica da experiência humana com seus próprios benefícios, incluindo liberdade de escolha, criatividade, satisfação, diversão e aumento de prazer e felicidade. Abrange formas amplas de expressão e de atividades cujos elementos são  tanto de natureza física quanto intelectual`social, artística ou espiritual.

2.2 Lazer é um meio privilegiado para o desenvolvimento pessoal, social e econômico; é um aspecto importante de qualidade de vida. Lazer é também um produto cultural e industrial que gera empregos, bens e serviços. Fatores políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais podem ampliar ou dificultar o lazer.

2.3 O lazer promove a saúde e o bem-estar geral oferecendo uma variedade de oportunidades que possibilitam aos indivíduos e grupos escolherem atividades e experiências que se adeqüem às suas próprias necessidades, interesses e preferências. As pessoas atingem seu pleno potencial de lazer quando estão envolvidas nas decisões que determinam as condições de seu lazer.

2.4 Lazer é um direto humano básico, como educação, trabalho e saúde, e ninguém deverá ser privado deste direito por discriminação de sexo, orientação sexual, idade, raça, religião, credo, saúde, deficiência física ou situação econômica.

2.5 O desenvolvimento do lazer é facilitado pela provisão de condições básicas de vida, tais como segurança, moradia, alimentação, renda, educação, salários, eqüidade e justiça social.

2.6 As sociedades são complexas e inter-relacionadas e o lazer não pode ser separado de outras metas da vida. Para atingir um estado de bem-estar físico, mental e social, um indivíduo ou grupo deve ser capaz de identificar e realizar aspirações, satisfazer necessidades e interagir positivamente com o ambiente. O lazer é, portanto, visto como um recurso para melhorar a qualidade de vida.

2.7 Muitas sociedades em todo o mundo são caracterizadas pela insatisfação crescente,estresse, tédio, falta de atividade física, falta de criatividade e alienação na vida cotidiana das pessoas. Todas essas características podem ser aliviadas pela participação em atividades de lazer.

2.8 As sociedades em todo o mundo estão passando por profundas transformações sociais e econômicas, que produzem mudanças significativas no padrão e na quantidade de tempo livre disponível para o indivíduo durante o transcorrer da vida. Essas tendências terão implicações diretas para uma gama de atividades de lazer que, por sua vez, influenciarão a demanda pelo suprimento de bens e serviços de lazer.

3. Educação


Considerando que:

3.1 A finalidade básica da educação é desenvolver os valores e atitudes das pessoas e provê-las com o conhecimento e aptidões que lhes permitirão sentir-se mais seguras e obter mais prazer e satisfação na vida. Essa perspectiva subentende que a educação, além de ser importante para o trabalho e para a economia, é igualmente importante para o desenvolvimento do indivíduo como um membro plenamente participativo da sociedade e para a melhoria da qualidade de vida.

4. Educação para o Lazer

Considerando que:

4.1 Os pré-requisitos e as condições para o lazer não podem ser garantidos somente pelo indivíduo. O desenvolvimento do lazer exige ação coordenada por parte de governos, organizações não-governamentais e voluntárias, indústrias, instituições de ensino e da"mídia". A educação para o lazer desempenha papel importante na diminuição de diferenças das condições de lazer e na garantia de igualdade de oportunidades e recursos. Possibilita, ainda, que as pessoas atinjam seu maior potencial de lazer.

4.2 A educação para o lazer deve ser adaptada às necessidades locais e às demandas de determinados países e regiões, levando-se em consideração os diferentes sistemas sociais, culturais e econômicos.

4.3 A educação para o lazer é um processo de aprendizado contínuo que incorpora o desenvolvimento de atitudes, valores, conhecimentos, aptidões e recursos de lazer.

4.4 Os sistemas de ensino formal e informal ocupam uma posição central para implementação da educação para o lazer, incentivando e facilitando o envolvimento do indivíduo neste processo.

4.5 A educação para o lazer há muito tem sido reconhecida como parte da área da educação, mas não tem sido amplamente implementada. Tem sido entendida como parte importante do processo de socialização no qual uma variedade de agentes desempenha um papel importante. Nesta Carta, a ênfase será concentrada na escola, na comunidade e na capacitação de recursos humanos.

4.6  O século XXI exige estruturas interdisciplinares inovadoras para oferecimento de serviços de lazer. Os atuais profissionais da área necessitam desenvolver currículos e modelos de capacitação de recursos humanos congruentes com as crescentes necessidades do futuro, preparando os profissionais de amanhã para o desenvolvimento de novas abordagens na oferta de serviços de lazer.

Por conseguinte:

À luz do papel crítico emergente do lazer e seus benefícios em todas as sociedades, e da importância de todos os agentes envolvidos neste processo, recomendamos a expansão do desenvolvimento de programas de educação para o lazer.

A Associação Mundial de Recreação e Lazer (WLRA) advoga a educação para o Lazer em todos os cenários e foros apropriados e convoca todos os países a apoiarem devidamente a implementação de estratégias e programas de educação para o lazer. Se a WLRA e outros órgãos como a UNESCO, os governos nacionais, as organizações não-governamentais e voluntárias unirem esforços para introduzir estratégias de educação para o lazer, em concordância com os princípios que formam a base desta Carta, então, os benefícios do lazer ficarão acessíveis a todos.O "Seminário Internacional da WLRA sobre Educação para o Lazer", realizado em Jerusalém, Israel, de 2 a 4 de agosto de 1993, apresenta esta Carta para levar o lazer a todos através da educação para o lazer até e além do ano 2000.

II - Educação para o lazer nas escolas

1. Meta

a meta geral da educação para o lazer é ajudar estudantes em seus diversos níveis a alcançarem uma qualidade de vida desejável através do lazer. Isto pode ser obtido pelo desenvolvimento e promoção de valores, atitudes, conhecimento e aptidões de lazer através do desenvolvimento pessoal, social, físico, emocional e intelectual. Isto, por sua vez, terá um impacto na família, na comunidade e na sociedade como um todo.

2. Princípios e Estratégias

Para atingir essa meta, sugere-se:

2.1 Educação para o Lazer é parte integrante de ampla variedade de estudos, atividades e experiências em cada estágio do ensino formal e informal.

2.2 Estruturas Formais:

Dentro das estruturas formais de educação, o programa propõe:

I. detectar o potencial para o conteúdo de lazer que existe em cada matéria, currículo e atividades extracurriculares.

II. incluir matérias apropriadas e relevantes para o estudo de lazer, tanto direta como indiretamente. Cada matéria deve ser enriquecida com conteúdo de lazer.

III. incorporar o lazer em todas as atividades educacionais e culturais, dentro e fora da escola.

2.3 Estruturas Informais:

Dentro das estruturas informais de ensino, o programa propõe:

I. promover flexibilidade curricular que amplie o envolvimento extra-escolar e da comunidade.

II. implementar o entendimento mútuo e o compartilhar de experiências culturais de lazer dentro do processo de aprendizagem.

III. permitir a liberdade de escolha na seleção e participação em atividades educacionais.

IV. incorporar princípios de tentativa e erro, que promovam o prazer sem medo de falhar.

2.4 Abordagem de ensino e Aprendizagem:

As abordagens de ensino e aprendizagem da educação para o lazer nas escolas devem incluir a facilitacão,  animação, criatividade, experimentação pessoal, auto-aprendizado, aulas teóricas e orientação. Recomenda-se que a aprendizagem ocorra individualmente e em grupo, dentro e fora da sala de aula e mesmo da escola. Isto permitirá uma variedade de formatos expressivos e instrumentais. A abordagem de ensino deve ser a de estimular mais do que a de instruir.

2.5 Pessoal

A implementação da educação para o lazer nas escolas deve envolver uma variedade de profissionais, incluindo coordenadores de lazer na escola e na classe, professores, orientadores e especialistas externos.

III - Educação para o lazer na comunidade

1. Metas

A implementação da educação para o lazer na comunidade inclui o processo de desenvolvimento comunitário.Comunidade é definida como lugar geográfico e agregado de interesses, que tem afinidade e interconexão mútuas. O desenvolvimento  comunitário refere-se a  um processo que utiliza o ensino formal, informal e o não-formal, bem como a liderança para aumentar a qualidade de vida dos indivíduos e dos grupos que vivem na comunidade.
De acordo com as metas globais de ensino de lazer na sociedade, o que se segue são as metas do ensino de lazer na comunidade:

1.1 Capacitação: desenvolver a capacidade do indivíduo e do grupo para melhorar a qualidade de vida através do lazer e ampliar a organização autogerida.

1.2 Acessibilidade: trabalhar com grupos comunitários existentes para minimizar as barreiras e otimizar o acesso a serviços de lazer.

1.3 Aprendizado para a Vida Toda: promover o aprendizado durante todo o ciclo da vida humana como uma meta viável.

1.4 Participação Social: criar a oportunidade para desenvolver inter-relações sociais necessárias a todos os seres humanos

1.5 Redução de Obstáculos: prover estratégias criativas para reduzir obstáculos à (minimizar impedimentos) satisfação de necessidades pessoais, familiares e comunitárias.

1.6 Abrangência: promover o desenvolvimento comunitário, respeitando a existência de grupos multiculturais, sócio-culturais, raciais, sexuais, etários, de habilidades e outros grupos que constituem a sociedade.

1.7 Responsabilidade Cívica e Moral: desenvolver um senso de comunidade, cidadania nacional e internacional, através de comportamento de lazer responsável e confiável.

1.8 Preservação: intensificar uma conscientização de preservação e conservação naturais e culturais.

2. Princípios e estratégias

Para alcançar essas metas, sugere-se os seguintes princípios e estratégias:

2.1 Integração: os serviços comunitários de lazer necessitam promover a integração com outras oportunidades de educação para o lazer.

2.2 Suporte: estimular as organizações comunitárias para incluírem ofertas de educação para o lazer.

2.3 Elos: criar potencial para unir escolas, serviços de recreação e outras organizações comunitárias em todos os níveis.

2.4 Continuidade e Mudança: fomentar tanto a continuidade dos atuais padrões de lazer quanto à aquisição de novos padrões de comportamento de lazer.

2.5 Intervenção Social: desenvolver serviços inovadores de lazer para satisfazer as necessidades específicas das pessoas que vivem em comunidades rurais ou urbanas.

2.6 Envolvimento Efetivo: envolver os residentes da comunidade no planejamento coletivo e nos processos de programação de multiserviços e na aceitação de responsabilidade por resultados efetivos.

3. Estruturas Comunitárias de Educação para o Lazer

São sugeridas as estratégias a seguir:

3.1 Serviços de Educação para o Lazer: centros comunitários, centros de educação de adultos,clubes para jovens, centros de interpretação, ambiental e cultural.

I. Desenvolvimento de Bases de Suporte: consumidores, profissionais e voluntários que podem promover educação para o lazer.

II. Estratégias de Marketing / Comunicação: avaliar necessidade, determinar demanda e promover programas.

III. Facilitação: descobrir, incentivar, possibilitar, apoiar e sustentar iniciativas populares.

IV. Redefinição e Reordenamento: dar ênfase às prioridades de qualidade de vida da comunidade nas agências prestadoras de serviço.

V. Eliminando barreiras, impedimentos e iniqüidades: através de programas de intervenção direta, indireta, de fomento e de suporte.

3.2 Serviços de Lazer e de Turismo ( por exemplo, parques, playgronds, centros esportivos, bibliotecas, teatros, galerias de vídeo). [Nota: as estratégias ( itens II a V) em 3.1 acima são aplicáveis a serviços de lazer e turismo.]

3.3 Mídia: televisão, rádio, jornais, entre outros.

VI. Informar os cidadãos sobre as oportunidades da educação para o lazer oferecidas pelas agências supracitadas e também prestar serviços de educação para o lazer através da mídia de massa.

3.4 Outros serviços: hotéis, bares, lanchonetes.

VII. Incluir ofertas de educação para o lazer em um pacote de serviços de recreação.

4. Abordagens  de ensino e aprendizagem na educação para o lazer, mencionadas anteriormente em 2.4 (facilitação, animação, aprendizado experimental e criativo, experimentação individual, auto-aprendizado, aulas teóricas e aconselhamento), são também aplicáveis à educação para o lazer comunitário. Entretanto, as estruturas de educação para o lazer comunitário, mencionadas no item 3 acima, sugerem estratégias adicionais, através de técnicas de suporte, estratégias de marketing e de comunicação e programas de extensão.

5. Recursos Humanos

A liderança no campo da educação para o lazer comunitário abarca um continnum, abrangendo desde profissionais empregados em tempo integral até voluntários, líderes locais e líderes comunitários. Há uma necessidade de influenciar na capacitação dos profissionais e gerentes que não estão envolvidos especificamente em organizações de lazer, para que reconheçam a importância e o potencial da educação para o lazer.

IV - Preparação e capacitação profissional em educação para o lazer

1. Metas

De conformidade com as metas globais de educação para o lazer na sociedade, o profissional deve setar apto para:

1.1 Entender o papel do lazer no meio humano em desenvolvimento.

1.2 Entender as tendências emergentes sociais, ambientais, técnicas e de comunicação, e chegar a conclusões, tendo em vista suas implicações nas ofertas de serviços de lazer.

1.3 Interpretar e integrar o papel da educação para o lazer em diversos ambientes profissionais da sociedade, por exemplo escolas, meios esportivos, clubes recreativos, centros culturais, pólos turísticos, na mídia e outras agências importantes para  a área de lazer.

1.4 Garantir que a educação para o lazer complemente, intensifique e se relacione com outras competências importantes como programação, planejamento, administração e liderança comunitária.

1.5 Entender a diversidade etnocultural da sociedade no planejamento de serviços de educação para o lazer.

1.6 Desenvolver os conhecimentos interculturais e a capacidade de ampliar estes conhecimentos a programas de lazer, esporte, cultura, mídia e turismo.

1.7 Entender o papel da educação para o lazer na promoção do desenvolvimento humano (questões relacionadas a sexo, idade, segmentos especais da população) em uma sociedade pluralista de mudanças rápidas.

2. Princípios e Estratégias

2.1 Os profissionais da educação para o lazer devem ser preparados para aplicar seus conhecimentos, valores e habilidades nas seguintes áreas de estudo:

I. tendências, filosofia, serviços, abrangência, acessibilidade;

II. aconselhamentos, animação, ensino, defesa da causa;

III. atividades especiais -artes e trabalhos manuais, esportes, música;

IV. sistemas de serviço - exemplo: ensino, esporte, cultura, mídia, turismo, abordagem clínica/terapêutica, teatro.

2.2 A integração da capacitação para a educação para o lazer em outros currículos profissionais variará em estrutura, forma e modelos de oferta de acordo com as necessidades e nível de desenvolvimento da sociedade.

2.3 O conteúdo curricular da educação para o lazer pode variar em um continuum desde módulos que fazem parte de currículos de lazer existentes, até opções isoladas ou áreas de concentração.

2.4 Quando apropriado, os módulos de educação para o lazer podem ser desenvolvidos para refletirem especializações, levando em consideração diferentes populações, metodologias de ensino, sistemas de serviços e grupos culturais.

3. Preparação e Capacitação de Educação para o lazer devem ser desenvolvidos de forma a transmitir valores, atitudes, conhecimentos e habilidades a indivíduos em outras áreas profissionais de atuação, como ensino, medicina, turismo, arquitetura, enfermagem, serviço social, gerência de hotel e clero.

Elaborada e aprovada no "Seminário Internacional da WLRA de Educação para o Lazer"

Jerusalém - Israel
2 a 4 de agosto de 1993
e ratificada pelo Conselho da WLRA Jaipur - Índia 3 de dezembro de 1993

Wolrd Leisure and Recration Association - WLRA


Endereço: http://www.worldleisure.org/about/publications/position_statement.php

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.