Centro de Excelência e Ginástica Artística Feminina: a Perspectiva dos Técnicos Brasileiros

Por: e .

Motriz - v.18 - n.2 - 2012

Send to Kindle


Resumo

Durante o período de 2001-2008, a Confederação Brasileira de Ginástica implementou o sistema  de seleção permanente concentrada no Centro de Treinamento (CT) de Curitiba. Através de um formato semelhante às escolas-internato esportivas da antiga União Soviética, as ginastas passaram a treinar  juntas sob o comando de um renomado técnico estrangeiro. Este artigo visa apresentar e discutir o contexto deste CT e o sistema de seleção permanente da ginástica artística feminina (GAF) brasileira, a  partir da opinião dos técnicos que desenvolvem a modalidade no país. Procedemos a um estudo de campo  e entrevistamos 34 treinadores de 29 instituições. Dentre os aspectos positivos da seleção permanente, os  sujeitos relacionaram principalmente a infraestrutura disponível às ginastas. Sobre os aspectos negativos,  foram citados problemas relacionados ao rigor do treinamento, à polarização e a consequente  monopolização das atletas, o que revela que, provavelmente, não houve uma adaptação do modelo  soviético às características da GAF desenvolvida no Brasil. 

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/4222

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.