Centros Olímpicos e Paralímpicos do Distrito Federal: Uma Análise da Política

Por: Claudia Catarino Pereira, Danielle Batista de Moraes, Eliane Elicker, , e Rafael Alberto Moore.

XXI Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VIII CONICE - CONBRACE

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO

Este trabalho tem como objetivo compreender a configuração, a gestão e o controle democrático dos Centros Olímpicos e Paralímpicos (COPs) do Distrito Federal a partir do olhar dos professores. O programa realiza uma gestão concentrada no âmbito governamental, porém uma execução descentralizada para o terceiro setor. Tais características nos levam a problematizar algumas questões sinalizadas por Gramsci (1991) e Carneiro (2013), tais como a difusão de uma concepção de mundo baseado em uma hegemonia política e cultural, atualmente neoliberal que reforça os interesses particulares (em grande parte das classes dominantes) e a articulação de políticas focais e precarizadas. Há um processo de conformação das massas ao projeto do bloco no poder, mediado pela unidade dialética entre estrutura e superestrutura, na formação/emergência de um novo bloco histórico (o neoliberal). Influenciando a ideia de que não tem sentido falar em antagonismos de classe, a política social passa a ser terceirizada e se relaciona muito mais com a prestação de serviço do que oferecer em plenitude os direitos sociais.

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.