Ciência e Educação na Década de 1950: Uma Reflexão com a Metáfora Percurso

Por: Marcus Vinícius da Cunha.

Revista Brasileira de Educação - ANPED - n.25 - 2004

Send to Kindle


Resumo

Situa a relevância do Centro Brasileiro e dos Centros Regionais de Pesquisas Educacionais do INEP para o surgimento de um debate quanto ao sentido da pesquisa científica em educação, o que permitiu aflorar significativa discussão sobre o conceito de pesquisa educacional e sobre a definição da ciência nesse campo. Analisa as manifestações de Anísio Teixeira e de Florestan Fernandes, como representantes de duas concepções quanto aos vínculos da ciência com a educação. Para tal, utiliza a análise retórica, especialmente a metáfora percurso, noção-chave das teorias pedagógicas, que comporta duas conotações: percurso determinado e percurso indeterminado. As idéias de Anísio Teixeira e de outros autores vinculados ao Centro Brasileiro e influenciados pelas idéias de John Dewey são posicionadas como integrantes da metáfora percurso indeterminado, cuja origem advém da concepção deweyana de ciência inspirada nos desenvolvimentos teóricos da física quântica. Palavras-chave : educação brasileira; retórica; metáfora; Anísio Teixeira; Florestan Fernandes; John Dewey

Endereço: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/n25/n25a10.pdf

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.