Cinética do Vo2 Durante o Exercício Realizado na Potência Crítica em Ciclistas e Indivíduos Não-treinados no Ciclismo

Por: Camila Coelho Greco, Dalton Muller Pessoa Filho e Renato Aparecido Corrêa Carita.

Motriz - v.19 - n.2 - 2013

Send to Kindle


Resumo

1,2 1 Instituto de Biociências, UNESP - Univ Estadual Paulista, Campus de Rio Claro, Departamento de Educação Física, Laboratório de Avaliação da Performance Humana, Rio Claro, SP, Brasil 2 Faculdade de Ciências, UNESP - Univ Estadual Paulista, Campus de Bauru, Departamento de Educação Física, Bauru, SP, Brasil Resumo: O objetivo foi analisar a cinética do consumo de oxigênio (VO2) na potência crítica (PC), em indivíduos com diferentes níveis de aptidão aeróbia no ciclismo. Seis ciclistas treinados (GT) e sete indivíduos não-treinados (GNT) realizaram os seguintes protocolos em cicloergômetro: (a) progressivo até a exaustão para determinação do VO2max e sua respectiva intensidade (IVO2max); (b) três testes em cargas constantes até a exaustão a 95-110%IVO2max para determinação da PC; e (c) um teste em carga constante até a exaustão a 100%PC. No exercício a 100%PC, o componente lento expresso em valor absoluto (GT: 342,4165,8 ml.min-1 vs. GNT: 571,3170,1 ml.min-1 ) e relativo ao aumento do VO2 em exercício (GT: 10,04,6% vs. GNT: 26,67,3%) foram menores para GT. O VO2 ao final do exercício (GT: 89,88,4%VO2max vs. GNT: 97,42,8%VO2max) foi significativamente menor no grupo GT ( = 0,045), sendo similar ao VO2max no grupo GNT. Portanto, o nível de aptidão aeróbia pode influenciar as respostas do VO2 ao exercício em PC.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/5631

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.