Circulação da Ginástica Sueca: Investimentos de L. G. Kumlien

Por: Anderson da Cunha Baia e Iara Marina dos Anjos Bonifácio.

XV Congresso de História do Esporte, Lazer e Educação Física - CHELEF

Send to Kindle


Resumo

O presente trabalho objetiva compreender o movimento de circulação e divulgação da ginástica sueca realizado por Ludvig Gideon Kumlien (1874-1934), o qual possibilitou a entrada de suas ideias, sobretudo na forma de manuais, em diferentes territórios, inclusive no Brasil. Esse estudo busca contribuir no entendimento das diferentes formas – sujeitos, discursos, impressos - pelas quais as ideias sobre a ginástica sueca adentraram e circularam em território brasileiro. Apontamos como hipótese que as relações estabelecidas e construídas por Kumlien, ao longo de sua trajetória, foram um movimento central para legitimar suas práticas, discursos e escritos, e a partir disso, possibilitaram sua circulação. Mobilizamos a noção de redes de sociabilidade de Sirinelli (2003) no sentido de compreender as forças de adesão e exclusão, cisões e alianças que conectaram os diferentes sujeitos no debate acerca da ginástica, mais especificamente a sueca. Utilizamos como fontes os manuais de Kumlien (Kumlien e André, 1906; Kumlien, 1908) e jornais brasileiros e franceses. A rede de sociabilidade anunciada se constituiu com Hugues Le Roux, autor do prefácio de um dos manuais escritos por Kumlien, o qual também escreve sobre ele e suas ações em jornais franceses. Emile André, autor em parceria dos dois manuais publicados por Kumlien na França. Georges Demeny, fisiologista, que em um primeiro momento colaborou com o discurso científico das exibições públicas de ginástica sueca promovidas por Kumlien e, posteriormente, a condena e propõe um método eclético. Georges Hébert também inicialmente convencido pela ginástica sueca, sobretudo, pelas aulas de Kumlien em seu instituto, e que mais tarde proporá um método natural de ginástica. Emile Coste, militar, partidário da ginástica sueca, contribuirá com a inserção dela em instituições oficiais francesas. Também as instituições: Escola de Joinville Le Pont, Escola de ginástica da marinha de Lorient, Ministério da Instrução Pública e Ministério da Guerra (Sarremejane, 2006) contribuíram para a formação dessa rede. Sujeitos e instituições inseridos em um contexto de debate sobre o método ginástico mais alinhado à formação das pessoas e atravessado por disputas que possibilitam a circulação de determinadas ideias, em contraposição a outros discursos.

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.