Comparação da Capacidade de Salto de Praticantes de Parkour e Calistenia

Por: Dermival Ribeiro Marques Neto, Eloisa dos Santos Vitor, Gabriel Vinicius dos Santos, ínea Beatriz Mota da Silva Santos, Leury Max da Silva Chaves e Marzo Edir da Silva Grigoletto.

XXI Congresso Brasileiro de Ciências do Esporte e VIII CONICE - CONBRACE

Send to Kindle


Resumo

INTRODUÇÃO

O treinamento tem a premissa de melhorar aspectos relacionados a saúde além de gerar adaptações neuromusculares nos invíduos. Para tal o treinamento tradicional é amplamente utilizado, promovendo melhorias relacionadas a força máxima e potência muscular (DORRELL, H.F; SMITH, M. K.; GEE, T. I., 2019). Entretanto, outros métodos de e modalidades, ainda pouco explorados, podem promover adaptações neuromusculares no indivíduo, dentre eles, podemos destacar a calistenia e o parkour. A calistenia é um método de treinamento que utiliza apenas o corpo como meio de treinamento, a partir disso poucos recursos materiais são utilizados, tendo como sobrecarga somente o peso do corporal e a partir disso é possível gerar melhorias em diversas capacidades físicas (KOTARSKY et al., 2017; SUCHOMEL et al., 2018). Já o parkour é uma modalidade que surgiu inicialmente como forma de treinamento militar e posteriormente caracterizou-se como método de deslocamento no ambiente urbano, no qual o praticante de parkour (traceur) tem por objetivo transpor obstáculos partindo de um ponto inicial a um ponto final da maneira mais rápida fluida e eficiente possível (LEITE et al., 2011).

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.