Comparação de Diferentes Arranjos de Treino nas Variáveis Neuromusculares de Praticantes de Treinamento de Força

Por: Rafael Pompeu Magalhães Castanheira.

54 páginas. 2014 03/11/2014

Send to Kindle


Resumo

OBJETIVO: investigar os efeitos de diferentes arranjos de treinos (sinergista vs. não-sinergista) nas respostas neuromusculares dos flexores do cotovelo em homens treinados. METODOLOGIA: A amostra foi composta por 18 indivíduos (n=18) do sexo masculino (23,11 ±3,89 anos de idade, 1,74 ±0,09m de altura e 83,51 ±15,04kg de massa corporal) e experientes em treinamento de força (4,06 ±1,89 anos de prática). Os indivíduos realizaram três protocolos de treino aleatorizados e separados por pelo o menos 6 dias: 1) Protocolo Sinergista (SN): 6 séries de 10 repetições máximas (RM) no exercício Remada supinada máquina seguido de 4 séries de 10RM de flexão de cotovelo no dinamômetro isocinético; 2) Protocolo Não-Sinergista (NS): 6 séries de 10RM no exercício Supino reto no Smith seguido de 4 séries de 10RM de flexão de cotovelo no dinamômetro isocinético; e 3) Protocolo Controle (CO): 4 séries de 10RM de flexão de cotovelo no dinamômetro isocinético. Entre cada série foram dados 2 minutos de intervalo de recuperação. As variáveis analisadas dos flexores de cotovelo foram: trabalho total (TT), torque médio (MT), índice de fadiga (IF) e ativação muscular (RMS). RESULTADOS: Os valores de TT alcançados nos protocolos SN e NS foram significativamente (p?0,05) inferiores (10,32 e 5,48%, respectivamente) em relação ao protocolo CO. O valor de TT alcançado no protocolo SN também foi estatisticamente inferior (5,02%) ao protocolo NS (p?0,05). Com relação ao MT, o protocolo CO foi estatisticamente superior (p?0,05) aos protocolos NS e SN (3,64 e 6,37%, respectivamente). Também houve superioridade estatística (p?0,05) do protocolo NS em relação procotolo SN nessa variável (2,83% menor). Não foram encontradas diferenças significativas entre os protocolos nas variáveis IF e RMS também na razão MT/RMS. CONCLUSÃO: Os resultados do presente estudo mostraram que os valores de TT e MT foram significativamente inferiores quando o arranjo de treino foi composto por exercícios sinergistas. Portanto, para um melhor resultado agudo nessas variáveis, sugere-se a realização do exercício principal de forma isolada ou em combinação com outro exercício não-sinergista.

Endereço: http://googleweblight.com/?lite_url=http://repositorio.unb.br/handle/10482/16701&lc=pt-BR&s=1&m=638&host=www.google.com.br&ts=1513867101&sig=AOyes_T9WC-QCTL_2HFTwiNQ1l_PB7iNTQ

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.