Comparação dos Efeitos da Vibração de Corpo Inteiro e Vibração Localizada Sobre o Desempenho nos Testes de Irm e Cvm

Por: Aler Ribeiro de Almeida.

71 páginas. 2015 29/05/2015

Send to Kindle


Resumo

Diversos estudos indicam que a aplicação de vibrações mecânicas pode contribuir para o aumento da força muscular máxima. O objetivo deste trabalho foi verificar os efeitos agudos da aplicação da vibração de corpo inteiro e da vibração localizada sobre o desempenho nos testes de 1RM no exercício rosca direta e de CVM de flexores do cotovelo. A amostra foi composta por 15 voluntários do sexo masculino, com média de idade de 25.6 + 3.96 anos. Todos os voluntários estavam inseridos regularmente em um programa de treinamento de força para membros superiores há pelo menos seis meses ininterruptos. Todos os voluntários compareceram em pelo menos sete sessões, sendo uma sessão de familiarização e seis sessões de testes. Cada uma das condições [testes sem vibração (SV), testes com vibração de corpo inteiro (VCI) e testes com vibração localizada (VL)] foi realizada em duas sessões subsequentes, separadas por um intervalo de 48 horas. A ordem das sessões de testes foi aleatorizada a partir do procedimento de quadrados latinos. Na familiarização os voluntários realizaram uma série do exercício rosca direta, sem aplicação de vibração, para estimativa do valor de 1RM. Após uma pausa de cinco minutos os voluntários realizaram duas séries de duas repetições, com 95% da 1RM estimada, em cada uma das três condições, com intervalos de três minutos entre as séries. Nas sessões de testes os voluntários realizaram inicialmente o teste de CVM, para normalização dos dados de eletromiografia (CVMn), composto por três séries de seis segundos e intervalo de cinco minutos entre as séries. Após um intervalo de 10 minutos foi realizado o teste de 1RM em uma das condições do estudo, composto por no máximo cinco tentativas, com intervalo de cinco minutos entre elas. Ao final do teste de 1RM, respeitando um intervalo de 30 minutos, foi realizado o teste de CVM em uma das condições do estudo (SV, VCI ou VL), para verificação do efeito da vibração mecânica sobre a atividade eletromiográfica e sobre o pico de força máxima durante a CVM. Foi respeitado um intervalo de pelo menos 120 horas entre os pares de sessões de uma mesma condição experimental. A EMGrms normalizada do bíceps braquial e do braquiorradial durante os testes de 1RM e de CVM apresentou valores significativamente maiores (p<0,05) na condição VL em relação às condições VCI e SV, tendo a condição VCI apresentado valores significativamente maiores (p<0,05) em relação à condição SV. O peso deslocado no teste de 1RM na condição VL foi significativamente maior (p<0,05) em relação à condição SV. Não houve diferença entre as condições VCI e SV e VCI e VL. Os valores de força encontrados no teste de CVM na condição VL foram significativamente maiores em relação às condições SV e VCI, tendo a condição VCI apresentado valores de força significativamente maiores em relação à condição SV. Foi possível concluir que a aplicação de VL aumentou o desempenho no teste de 1RM e de CVM, enquanto a aplicação de VCI aumentou apenas o desempenho no teste de CVM.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.ufmg.br/dspace/handle/1843/BUOS-AQVHUE

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.